/ Sinopse
/ voltar
Sexta, 16 Dezembro | 22h00
Música | Pequeno Auditório
Is There All There Is? Then Let´s Keep Dancing
Nuno Vieira de Almeida E Vera Mantero

Vera Montero e Nuno Vieira de Almeida apresentam um espectáculo descontraído e informal no Centro Cultural Vila Flor (CCVF). Em palco vão interpretar versões de canções do cinema de Charles Trénet, Maurice Yvain, Tom Jobim, Steven Sondhein e Friedrich Hollaender.

Considerada como um dos maiores talentos da vanguarda de dança em Portugal, Vera Mantero estudou dança clássica até aos 18 anos. Foi bailarina no Ballet Gulbenkian, em Lisboa. Em Nova Iorque e Paris estudou técnicas de dança contemporânea, voz e teatro. Em França, trabalhou com a coreógrafa Catherine Divérrès. Iniciou o seu trabalho coreográfico em 1987 e desde 1991 tem mostrado as suas peças em teatros e festivais em todo o mundo.

Vera Mantero participa regularmente em projectos internacionais de improvisação e orienta workshops de criação/composição e improvisação quer em Portugal quer no estrangeiro. Em Fevereiro de 2002 foi-lhe atribuído o Prémio Almada (Ministério da Cultura/IPAE) pela sua carreira como intérprete e coreógrafa.

Nuno Vieira de Almeida estudou com José Manuel Beirão e Tania Achot. Enquanto bolseiro da Fundação Gulbenkian trabalhou em Viena com Leonid Brumberg e em Londres com Geoffrey Parsons. Como pianista de Lied deu em Portugal (com os mais importantes cantores portugueses) diversas primeiras audições de obras de Wolf, Zemlinsky, Berio, Von Einem, Schreker, Komgold, Ives, Weill, Bemstein, Britten, Webern, Schõnberg, entre outros.

Nuno Vieira de Almeida trabalha regularmente com cantores como Elsa Saque, Gundula Janowitz, Ulla Gustafsson, Elisabete Matos, Liliana Bizinech, Jennifer Smith, Carol Smith, Alison Browner, etc. Pertenceu ao grupo de teatro musical COLECVIVA dirigido por Constança Capdeville. Concebeu e executou os espectáculos de síntese músico-teatral: Le Travail du Peintre, Winterreise (ambos com Pedro Calapez) e Ensaio.

Vera Mantero e Nuno Vieira de Almeida falam do espectáculo que vão apresentar no CCVF "quer sejam alemãs, brasileiras, francesas, americanas, a esmagadora maioria das canções trata de amor. Do seu sucesso ou insucesso, da sua durabilidade ou efemeridade e da contrapartida de lealdade que podemos encontrar no parceiro (a). Vulgo fidelidade...(não deixa de ser ingénua a confusão de muitos letristas entre uma e outra coisa). Algumas (menos) tratam também de sexo...e essas são mais antigas, aparecem antes desta globalização burguesa de sentimentos que hoje nos inunda. É sobre umas e outras que queremos falar...talvez com algum desencanto, talvez com alguma esperança."

2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800