/ Sinopse
/ voltar
Sábado, 19 Novembro | 22h00
Música | Grande Auditório
Maria Schneider Orchestra

Maria Schneider

Maria Schneider, vencedora do prémio Grammy (como compositora e para arranjos) nasceu em Windom (Minnesota, USA) e chegou a Nova Iorque em 1985 depois dos estudos na University of Minnesota, na University of Miami e na prestigiosa Eastman School of Music. Foi imediatamente à procura de Bob Brookmeyer para estudar composição. Nessa altura era assistente de Gil Evans, colaborando muito com ele, nomeadamente no filme A Cor do Dinheiro e na música da tournée Gil Evans/Sting realizada em 1987. Nos últimos anos, tem sido procurada inúmeras vezes para dirigir a orquestra nos concertos da música de Evans, nos quais já apareceram grandes artistas como Jon Faddis, Wallace Roney, Miles Evans, Ingrid Jensen e David Sanborn.

O grupo Maria Schneider Jazz Orchestra foi criado em 1993 e actuou no clube Visiones no Greenwich Village todas as segundas-feiras durante cinco anos. Consequentemente, a sua orquestra já foi convidada para tocar em muitos festivais de jazz e em salas de espectáculo espalhadas pela Europa, no Brasil e em Macau. Recebeu vários convites de mestre de orquestra (apresentando as suas composições) nos USA e na Europa. Já aceitou convites de mestre de orquestra nos seguintes países: Itália, Portugal, França, Suécia, Dinamarca, Noruega, Bélgica, Holanda, Alemanha, Eslovénia, Áustria, Canadá, Escócia, Austrália, Groenlândia, e Islândia e, claro, nos USA. A lista de comissões também é grande.  Elas são provenientes da Norrbotten Big Band e da Danish Radio Orchestra para fazer arranjos e dar concertos com Toots Thielemans, da Metropole Orchestra, Stuttgart Jazz Orchestra, Orchestre National de Jazz (Recapitulation), Carnegie Hall Jazz Orchestra (El Viento), Monterey Jazz Festival (Scenes from Childhood), University of Miami Concert Jazz Band (Three Romances), e Jazz at Lincoln Center (Bulería, Soleá y Rumba).

Maria Schneider recebeu o prémio Doris Duke para financiar a composição de uma obra de dança com a famosa companhia Pilobolus, que foi realizada com a sua própria orquestra no American Dance Festival, no Kennedy Center for the Perfoming Arts. Fez os arranjos do concerto da música de Ivan Lins, interpretado por Ivan Lins, Toots Thielemans e a Danish Rádio Orchestra durante uma grande digressão na Europa em 2003. Na primavera de 2004, deu uma série de quatro concertos na Hunter College, a universidade que posteriormente financiou as suas duas comissões mais recentes, Concert in the Garden e Sky Blue. Concert in the Garden é o título do seu CD mais recente, produzido e divulgado através do mariaschneider.com, o primeiro site apoiado pela empresa revolucionária, ArtistShare.

Em 2005, Maria Schneider ganhou o Grammy na categoria Best Large Jazz Ensemble para a gravação Concert in the Garden e também foi nomeada duas vezes na categoria Best Instrumental Composition. O seu Grammy representa a primeira vez que uma actuação foi premiada sem estar ainda à venda nas lojas. Em 1995, o seu primeiro disco Evanescence foi nomeado para dois Grammys, um na categoria de Best Large Jazz Ensemble Performance e o outro por Best Instrumental Composition, cuja peça tem o nome do disco. As duas gravações a seguir, Coming About e Allegresse, também receberam nomeações para os Grammy. Nos Jazz Journalist Awards, Maria Schneider já recebeu prémios na categoria de Best Composer (2 vezes), Best Arranger (2 vezes) e Best Big Band (1 vez). O nome dela figura sempre nas sondagens dos preferidos dos leitores e críticos das revistas Downbeat e JazzTimes. O seu terceiro álbum Allegresse foi seleccionado por ambas as revistas Time e Billboard nas suas listas dos "Top 10 de 2000", que abrange todo o tipo de música.

2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800