/ Sinopse
/ informação adicional
/ voltar
Quinta, 8 Junho | 22h00
Teatro | Pequeno Auditório
Alter Ego
Há quem morra por amor? O amor pode ser uma doença? A ausência de amor pode ser fatal? Pode matar? E tem cura?

"Alter Ego" procura respostas. Emoções. Descreve-nos duas relações que decorrem paralelamente entre a tela e o palco, e que resultam numa simbiose entre o romance e a tragicomédia. Experimentamos assim, uma realidade duplamente ficcionada, pelo cinema e pelo teatro, que nos permite conhecer um amor ambíguo e possivelmente fraterno entre Elísio e Amadeu e outro, bastante verosímil, entre Inês e Pedro.

Tudo acontece num ambiente vazio, pouco físico e demasiado irreal, onde só as personagens interessam. Algures numa cidade imaginária, moderna e "urbana", que existe com a exclusividade de servir o desenrolar da narrativa, Pedro conquista Inês e apresenta-lhe as personagens do seu último filme, Amadeu e Elísio. O antagonista e o alter ego respectivamente.
A partir daqui, somos convidados a entrar na intimidade de cada relação, e a perceber que Pedro dificilmente poderá terminar o filme e iniciar uma relação estável com Inês enquanto não conseguir fazer com que Elísio supere a insegurança e o medo que sente em relação a Amadeu. O amor não é só palavras. A excessiva criatividade romântica de Pedro faz com que sofra desilusões de idêntica proporção. O romântico é um ser frágil e obsessivo e Pedro não foge à regra. Assim sendo, e fragilizado pela ausência de amor, Pedro cria uma relação imaginária entre Inês e o seu personagem Amadeu. Consumido pelo ciúme e pela angústia da traição, Pedro perde sucessivamente as suas emoções, até adoecer gravemente com problemas no coração. O tempo passa e o estado clínico não evolui. Inês não compreende e os médicos também não. Até perceberem, talvez tardiamente, que desta vez o problema cardíaco teve causas espirituais e não físicas. Pedro sofre de ausência de amor... E Elísio também.

Escrito por Artur Serra Araújo, Criação: Teatro Bruto, Texto Artur Serra Araújo, Encenação, cenografia e figurinos Ana Luena, Realização José Wallenstein, Intérpretes Luciano Amarelo, Mário Santos, Pedro Mendonça e Marta Gorgulho, Música Alexandre Soares, Desenho de luz Mário Bessa, Director de fotografia Pedro Azevedo, Engenheiro de som Vasco Carvalho, Assistente de realização Bernardo Camisão, Fotografia Ana Pereira, Produção executiva Alexandra Sabino, Co-produção Teatro Bruto / Utopia Filmes

2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800