/ Sinopse
/ informação adicional
/ voltar
Largo da Oliveira
Sexta, 7 Julho | 22h00 a Sábado, 8 Julho
Teatro | Outros Locais
Piratas do fio de água

O Largo da Oliveira vai receber nos próximos dias 7 e 8 de Julho o espectáculo Piratas do Fio de Água - I Episódio - A febre de utopia, a primeira produção do Teatro da Palmilha Dentada, que teve estreia em Agosto de 2001, nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto. Piratas do Fio de Água é uma história burlesca baseada nas personagens do Capitão Raimundo e do seu fiel companheiro Etelvino Prazeres das Dores.


O espectáculo decorre num barco com quatro metros de comprimento e dois de altura. O primeiro episódio da saga rocambolesca - A Febre da Utopia - relata a dura vida de Etelvino, um pirata do séc. XVI. Partindo do porto de Fez, o público é convidado a acompanhar a sua primeira viagem ao longo da costa africana até à mítica ilha de La Bodega, onde o Capitão Raimundo irá raptar a filha do rei de Espanha (uma boneca de trapos). Mas, como a vida a bordo de uma nau está cheia de imprevistos, diversos contratempos irão atrasar a viagem.

Segundo a companhia de Teatro, "os Piratas do Fio de Água - I Episódio - A febre de utopia é um espectáculo de rua desde que a rua seja plana. Pode também ser apresentado em praças planas, avenidas planas, jardins planos ou becos planos. Caso a rua, a praça, avenida, jardim ou beco não sejam planos o espectáculo poderá ser apresentado na mesma, mas já não se chamará espectáculo, terá o nome de acidente. A razão de tal facto é devido ao pormenor do espectáculo ser apresentado num barco com oito rodas e nenhum travão. O espectáculo tem a duração aproximada de uma hora excepto quando apresentado em ruas, praças, avenidas, jardins ou becos que não sejam planos, nesse caso a duração do espectáculo está directamente relacionada com o ângulo do declive, impulso inicial, e distância livre para ser percorrida pelo barco antes de encontrar o primeiro obstáculo. Quando representado em ruas planas, o espectáculo tem texto original de Ricardo Alves (em ruas com declive o texto resume-se a um longo grito). A interpretação é de Ivo Basto e Rodrigo Santos (no caso de ruas com declive acresce de ainda três bombeiros, um enfermeiro e dois maqueiros)."

Piratas do Fio de Água - I Episódio - A febre de utopia
1ª Produção do Teatro da Palmilha Dentada
Estreado a 31 de Agosto de 2001
Texto e encenação Ricardo Alves
Interpretação Ivo Bastos e Rodrigo Santos
Construção cenográfica Ricardo Alves, Sandra Neves, Ivo Bastos, Rodrigo Santos, Rui Dourado e Sabino Pires
Figurino do Capitão Raimundo Manuela Bronze
Fotografias Bruno Carvalho

2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800