/ Sinopse
/ voltar
Terça, 19 Junho | 15h00 a Terça, 19 Junho | 17h00
Espetáculos | Pequeno Auditório
Os filmes são como as cerejas



Terça-feira, 19 de Junho - 15h00
Os filmes são como as cerejas
Princesa Mononoke,
de Hayao Miyasaki
Convidado José Miguel Ribeiro
Filme/ conversa
Serviço Educativo
Pequeno Auditório
Público-alvo: a partir dos 10 anos
Duração: c. 2 horas
Entrada gratuita

Mononoke Hime, traduzido entre nós para Princesa Mononoke ("princesa fantasma"), é um filme de Hayao Miyasaki, o mestre japonês do cinema de animação. O realizador acalentou durante muito tempo este projecto de realizar um filme de aventuras que para além de explorar o universo do fantástico, fosse especificamente assente no imaginário japonês, o que o torna único e especial.
A história do filme passa-se no final da Idade Média japonesa, durante a Era Muromachi. Ao defender o seu povo do ataque de um javali gigante, o jovem Ashitaka é vítima de uma maldição; o contacto com o animal deixa-lhe uma marca no braço direito, cuja expansão só terminará com a sua morte. A vidente da aldeia aponta-lhe o caminho a seguir: ele deve partir à procura da fonte do mal que transformou o animal, um deus-javali, numa besta sanguinária descontrolada. O destino de Ashitaka é tentar ver com olhos não velados pelo ódio a razão da "corrupção" do deus.

A sua viagem leva-o à Cidade do Ferro, governada por Eboshi, uma mulher determinada, que construiu uma sociedade humanista, dando abrigo a homens e mulheres oprimidos, mas utilizando os recursos da floresta para sustento da cidade. Na sua viagem, Ashitaka conhece também San, uma rapariga criada por uma deusa-loba, que procura matar Eboshi para pôr cobro ao processo de destruição da floresta.

Para além de ser um filme de aventuras empolgante, Princesa Mononoke não rotula o certo e o errado, os bons e os vilões, mas antes chama-nos a atenção para a urgência de procurar o equilíbrio entre os elementos - o equilíbrio natural, por um lado, e o equilíbrio entre pontos de vista e modos de viver dos seres humanos, por outro.

José Miguel Ribeiro é o realizador que virá apresentar-nos este filme. Essencialmente conhecido por ser o realizador de "A Suspeita", o mais premiado filme português de animação, dedica-se à ilustração e à realização de workshops, para além da animação de filmes. Leccionou animação de volumes durante vários anos, em Lisboa, acabando por trocar esta cidade por Montemor-o-Novo, onde actualmente produz o seu trabalho, e é frequentemente convidado para dar formação em vários países europeus.

"Os Filmes são como as Cerejas" é um ciclo de cinco sessões que se realiza entre Fevereiro e Junho. À terceira semana de cada mês é convidado um realizador para escolher um filme que tenha marcado a sua adolescência. O objectivo do ciclo é introduzir os jovens ao universo do cinema e ao imaginário que o envolve.

2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800