/ Sinopse
/ informação adicional
/ voltar
Sexta, 15 Junho | 22h00
Teatro | Grande Auditório
O Corte
Assédio Teatro | Conversa com João Cardoso

O Teatro Assédio traz ao palco dos Festivais Gil Vicente a peça " O Corte", do dramaturgo britânico Mark Ravenhill. O carácter precário das instituições e da consanguinidade é posto a nu, num texto que alia o humor e a imprevisibilidade a um amplo conhecimento das relações humanas. Umas vezes dúbio, outras desconcertantes, "O Corte" vive, sobretudo, da torção propositada de um certo horizonte de expectativas. 

Paul é um alto funcionário do Estado. Aparentemente razoável e cioso dos trâmites da administração, Paul aplica o Corte, uma punição cirúrgica ancestral que a opinião pública há muito critica e que a sua própria família combate. Susan, a sua mulher, vive ensimesmada em dramas domésticos desproporcionados, que amortece com calmantes, enquanto Stephen, seu filho, se envolve em movimentos estudantis pela abolição do Corte. O retrato oblíquo desta família revela uma preocupação latente com o conforto e com a cordialidade, como se fossem o substituto natural do afecto. Quando o poder troca de mãos, perante a força da mudança política e a exigência de que se prestem contas, Paul passa a ser o réu justo, ou o bode expiatório, face a um novo quadro de valores e a um novo modelo de humanidade.

Texto: Mark Ravenhill
Tradução: Constança Carvalho Homem
Encenação: João Cardoso
Cenografia: Sissa Afonso
Figurinos: Bernardo Monteiro
Desenho de Luz: Nuno Meira
Sonoplastia: Francisco Leal
Interpretação: Diana Couto, Hélder Guimarães, João Cardoso, Luciano Amarelo, Rosa Quiroga, Sandra Ribeiro
Maiores de 16 anos

2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800