/ Sinopse
/ voltar
Sexta, 20 Maio | 22h00
Café Jazz | Outros Locais
Drumming | Grupo de Percussão
Encontros da Primavera

Local Auditório da Universidade do Minho

Drumming - Grupo de Percussão
emergiu em 1999 do primeiro curso superior de percussão aberto em Portugal, cinco anos antes, pela Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto, com o apoio do Instituto Politécnico e da Escola Profissional de Música de Espinho.

Sob direcção de Miquel Bernat, percussionista e pedagogo de prestígio internacional, o agrupamento, formado por alunos e professores, ostentando no seu currículo dezenas de actuações em todas as principais salas do país; Centro Cultural de Belém, Fundação Gulbenkian, Culturgest, Teatro Camões, Teatro Rivoli, etc e também no estrangeiro em Espanha, Bélgica, França, Alemanha etc . Foi grupo residente da programação musical da Porto 2001, Capital europeia da Cultura. com 8 actuações apresentando os mais distintos programas.
Drumming resulta também da evolução da percussão erudita em Portugal e na própria cultura ocidental, contribuindo, através da divulgação das grandes obras contemporâneas, para um ganho progressivo de público para esta especialidade, no seio da qual percorre as vias da inovação sonora e da poética do espectáculo enquanto momento cénico único e total.
Com a estabilização em termos profissionais e autónomos, o projecto Drumming passou a desempenhar um papel central na divulgação do mais significativo repertório existente para percussão, entrando numa fase de desenvolvimento do seu próprio repertório com compositores internacionais e portugueses.
Nos últimos anos, tem-se consolidado a singularidade do papel de Drumming na cena musical portuguesa, mediante apresentações que vão da percussão erudita, ou do Rock-Jazz-World Music, à música de cena para teatro, ópera e bailado, passando pela programação contemporânea temática. O grupo tem, igualmente, apresentado programas concebidos para fins itinerantes e didáctico-pedagógicos de trabalho com não profissionais.
No campo da pesquisa, a organização de seminários e conferências e a elaboração de um programa pedagógico próprio, integram uma actividade orientada numa perspectiva eclética que integra também o trabalho de atelier experimental, por onde passam trabalhos coreográficos, de ligação à música electrónica e fusão com outros géneros musicais e artísticos.


Miquel Bernat
MIQUEL BERNAT, Benisanó - Valência, é um dos mais destacados vultos internacionais da Percussão. Estudou nos conservatórios de Valência, Madrid, Bruxelas e Roterdão e frequentou o Aspen Summer Music Course, nos Estados Unidos. 
Entre outros foi laureado com o "Prémio Extraordinario Final de Curso" dos conservatórios de Madrid e de Bruxelas, com Prémio Especial de Percussão no concurso GAUDEAMUS, Holanda, 1993 e com o segundo prémio de interpretação de Música Contemporânea no mesmo certame, com o Rotterdam Percussive, bem como com o segundo prémio do Aspen Nakamichi Competition (EUA), como solista. 

Músico de grande versatilidade, tocou com a Orquestra Ciutat de Barcelona (1988-1991) e com Royal Concertgebouw Orchestra de Amsterdam entre outras, e com os grupos de música contemporânea ICTUS Ensemble, Quarteto ICTUS de Bruxelas, Duo Contemporain de Rotterdam, etc.
Solista em incontáveis recitais, destaca-se a estreia mundial do Concerto para Marimba e 15 Instrumentos de David del Puerto no Festival ARS MUSICA, de Bruxelas e ENSEMS de Valência, e o concerto Campos Magnéticos de César Camarero estreada com a Orquestra Nacional do Porto.
Professor nos Conservatórios Superiores de Música de Roterdão e Bruxelas, Miquel BERNAT tem desenvolvido um intenso trabalho pedagógico na Escola Superior de Música do Porto, Escola Profissional de Música de Espinho, tendo sido recentemente convidado para leccionar na Universidade de Aveiro e na Escola Superior de Música da Catalunha. Fundador, no Porto do "DRUMMING - GRUPO DE PERCUSSÃO", agrupamento residente do Porto 2001 - Capital Europeia da Cultura, com o qual dirigiu numerosos concertos em Portugal, França, Alemanha, Brasil e Espanha.
Preconizando o tratamento de cada espectáculo musical em função de uma poética irrepetível, tem vindo a desenvolver um conceito inovador de concerto onde a presença em palco, cenografia e desenho de luzes ou o tratamento escultórico são valorizados ao mesmo nível da prestação musical. Surgem, nesta linha, espectáculos com coreografia de Anne Teresa de Keesrmaeker como Just Before, com a Companhia das Rosas, Natural Strange Days, com o coreógrafo Roberto Olivan, e ainda Drumming Live, Rain ou April Me.
Noutra área, estreou em 2003 no IRCAM Centre George Pompidou, Paris, Mantis Walk in a Metal Space de Javier Alvarez, uma peça para Steel Drums solista, com grupo instrumental e electrónica, desenvolvendo uma outra vertente como instrumentista, a de trazer para primeiro o plano solístico instrumentos exóticos que raramente ascendem a um lugar de destaque na nossa cultura.
Apaixonado pela criação contemporânea, colabora estreitamente com numerosos compositores, tendo dezenas de obras que lhe foram dedicadas.

2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800