/ Sinopse
/ voltar
Local: Auditório da Universidade do Minho
Quarta, 8 Junho | 22h00
Teatro | Outros Locais
As Regras da Arte de Bem Viver na Sociedade Moderna
Artistas Unidos

ISABEL MUÑOZ CARDOSO trabalhou com Luís Varela, José Peixoto, José Carlos Faria, José Mora Ramos, Jorge Silva Melo, Diogo Dória, Jean Jourdheuil. Formou o Teatro Tejo em 1989. Integra os Artistas Unidos desde 1995, tendo participado em ANTÓNIO, UM RAPAZ DE LISBOA e PROMETEU de Jorge Silva Melo, BURACO NEGRO e CÂNCER de Gerardjan Rijnders, VAI VIR ALGUÉM de Jon Fosse, AO OLHAR PARA TI (RENASCIDO) DE NOVO de Gregory Motton, O BATERISTA de Arne Sierens , FALTA de Sarah Kane, DIAS FELIZES de Samuel Beckett, HÁ TANTO TEMPO de Harold Pinter, BAAL de Bertolt Brecht, A NOITE CANTA OS SEUS CANTOS de Jon Fosse, TERRORISMO e NO PAPEL DA VITÍMA dos Irmãos Presniakov. Recentemente interpretou MARCADO PELO TIPEX de António Onetti.

AS REGRAS DA ARTE DE BEM VIVER
NA SOCIEDADE MODERNA
de Jean-Luc Lagarce

Com Isabel Muñoz Cardoso
Encenação Andreia Bento assistida por Pedro Carraca
Uma Produção Artistas Unidos

Estreado a 3 de Março de 2005 no Teatro Taborda, em Lisboa

Nascer não é complicado. Morrer é muito fácil. Viver entre estes dois acontecimentos não é necessariamente impossível. Para se adaptar, basta seguir as regras e aplicar os princípios, e saber que para toda e qualquer circunstância, existe sempre uma solução, uma forma de reagir e de se comportar, uma explicação para os problemas, porque a vida é apenas e somente uma longa lista de ínfimos problemas.
Há um livro que tudo rege, todas as circunstâncias, organiza tudo, propõe uma solução para todos os instantes da vida, organiza, tranquiliza. É um livro absoluto. Explica como nascer, como estar em harmonia perfeita com o mundo desde o primeiro dia, como não cometer erros perante o nascimento dos outros, como descobrir a vida - quantas prendas, que presente - que atitude ter no dia do casamento, como preparar uma mesa, como demonstrar o amor ao ser amado e conhecer as palavras que lhe devem ser ditas, como lhe agradecer e como lhe pedir, como dar e obter, quanto dar e quanto receber. E depois, o que também não é de somenos, como morrer, o que dizer, o que fazer, como partir sem complicações, como manter a elegância também nesse momento, e não falhar o papel nem esquecer o texto.

Os Artistas Unidos existem desde 1996, e foram criados a partir da experiência de "António, Um Rapaz de Lisboa" de Jorge Silva Melo. Além de filmes e edições, produziram os Artistas Unidos espectáculos baseados em textos de Bertolt Brecht, Harold Pinter, Jorge Silva Melo, William Shakespeare, José Maria Vieira Mendes, Samuel Beckett, Jon Fosse, Sarah Kane, Spiro Scimone, Fausto Paravidino, Anthony Neilson, Irmãos Presnyakov, Xavier Durringer, Gregory Motton, Rui Guilherme Lopes, Joe Orton, David Harrower, Judith Herzberg, Francisco Luís Parreira. Trabalharam com os Artistas Unidos os encenadores Alberto Seixas Santos, Artur Ramos, Madalena Victorino, Solveig Nordlund, António Simão, Arne Sierens, Jorge Silva Melo, Pedro Carraca, João Meireles, Pedro Marques, Manuel João Aguas, Manuel Wiborg, João Fiadeiro. Entre 2000 e 2002 estiveram instalados no antigo edifício do jornal A Capital. Após o seu encerramento estão instalados desde Agosto de 2002 no Teatro Taborda enquanto se ultimam os trabalhos de reconversão do edifício do Bairro Alto.


ANDREIA BENTO tem a Licenciatura da Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Realizou o estágio profissional-curricular nas produções dos Artistas Unidos VAI VIR ALGUÉM de Jon Fosse, encenação de Solveig Nordlund e AO OLHAR PARA TI (RENASCIDO) DE NOVO de Gregory Motton, com direcção de Isabel Muñoz Cardoso. Foi assistente do espectáculo DIAS FELIZES, de Samuel Beckett, com encenação de Madalena Vitorino e A COLECÇÃO, de Harold Pinter, com encenação de Artur Ramos. Como actriz trabalhou no Pogo Teatro, Teatro Infantil de Lisboa, Teatro da Malaposta com Ana Nave, Teatro Aberto com José Wallenstein, e na curta-metragem A RAPARIGA NO ESPELHO, de Pedro Fortes. Autora dos textos para o programa de COWBOY MOUTH de Sam Shepard, encenação de Francisco Salgado, no Trindade. Trabalhou como assistente de Alberto Seixas Santos e Jorge Silva Melo e integrou o elenco de TERRORISMO dos Irmãos Presniakov.


Preço dos Bilhetes

2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800