/ Sinopse
/ informação adicional
/ voltar
Sexta, 21 Novembro | 22h00
Música | Grande Auditório
Kenny Barron Trio
Kenny Barron nasceu em Filadélfia, em 1943 e é considerado "um dos maiores pianistas de jazz do mundo". Tendo acompanhado alguns dos grandes nomes desta música, adaptou-se com facilidade a todos os contextos que lhe surgiram e tem conseguido manter um elevado nível artístico nas suas prestações. Este facto permitiu-lhe desenvolver uma espécie de "talento de camaleão" que desencoraja qualquer tentativa de definir a sua singularidade.

K. Barron foi influenciado pelos melhores pianistas da escola de Detroit: Hank Jones, Tommy Flanagan e Wynton Kelly e estudou piano com a irmã de Ray Bryant. A sua progressão foi tão rápida que, em 1959 (aos 16 anos) tocava com o baterista Philly Joe Jones e, em 1960, juntou-se ao grupo de Yusef Lateef. Neste mesmo ano, trocaria Detroit por Nova Iorque, sendo contratado por James Moody. Nos dois anos seguintes, K. Barron acompanharia brevemente Lee Morgan, Lou Donaldson e Roy Haynes, para logo ingressar na orquestra de Dizzy Gillespie, onde permaneceu até 1966. O início dos anos 70 levou K. Barron a tocar novamente com Yusef Lateef e com Milt Jackson, Jimmy Heath e Buddy Rich, nomes que viriam a somar-se a um currículo musical invejável, onde já constavam os nomes de Stanley Turrentine, Freddie Hubbard e Jimmy Owens e, mais tarde, Ron Carter. Nesta mesma década grava pela primeira vez, como líder, e associa-se à prestigiada Rutgers University, onde leccionou piano, harmonia e teoria da música. Os anos 80 trouxeram-lhe novos desafios e novos projectos, dos quais se destaca a criação do quarteto SPHERE, fundado em parceria com Charlie Rouse, Ben Riley e Buster Williams e cujo propósito era tocar a música de Thelonious Monk. Esta formação gravou discos notáveis para a editora Verve: "Four for all" e "Bird Songs". Outros momentos importantes durante esta década foram a sua associação com o vibrafonista Bobby Hutcherson, o registo discografico no álbum "Voyage", com Stan Getz e a prolongada digressão europeia e norte-americana no quarteto deste saxofonista, ao lado de Rufus Reid e Victor Lewis. Os anos 90 marcaram a consagração de Kenny Barron e do seu extraordinário trio composto por Ray Drummond (contrabaixo) e Ben Riley (bateria). Na década de 90 obteve diversos prémios: "Melhor Pianista de Jazz" nas votações dos críticos de jazz nas revistas "Jazziz" em 1996; "Jazz Times" em 1997 e 1998; "Downbeat" em 1997, 1998 e 1999; "Melhor Pianista de Jazz" nas votações dos leitores das revistas "Jazz Times" em 1995 e 1996; "Downbeat" em 1997 e "Jazz Iz" em 1999. Em 1998 obteve ainda o "New York Jazz Award" para o melhor pianista e, em 2000, ganhou o prémio de "Melhor Pianista" atribuído pela Associação Americana de Jornalistas de Jazz.

Kenny Barron piano

Kiyoshi Kitagawa contrabaixo
Johnathan Blake bateria
Maiores de 12
 
2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800