Youtube Link   Facebook Link Twitter Link
DOMINGO 17 FEVEREIRO, 11H00
DOMINGOS EM CASA
O corpo como território de memória 
Ángela Diaz Quintela
 
SÁBADO 2 MARÇO, 17H00
GUIA DE VISITA
Liliana Duarte
Lançamento do Livro “Paladário”
 
SÁBADO 16 MARÇO, 17H00
MEMÓRIAS DA MEMÓRIA 
O Teatro da Memória do Teatro
António Fonseca
 
DOMINGO 17 MARÇO, 17H00
DOMINGOS EM CASA 
Memória Futura
Nuno Preto
 
TODO O ANO
EXPOSIÇÃO PERMANENTE
TERRITÓRIO E COMUNIDADE
 
Toda a informação em www.casadamemoria.pt
fechar todos
Pensamento Ameríndio
1º Ciclo Expositivo 2019
23 fevereiro a 9 junho

Salas #12-13
Variações do Corpo Selvagem: Eduardo Viveiros de Castro, Fotógrafo
Curadoria de Eduardo Sterzi e Veronica Stigger

Salas #9-11
Carõ - Multidões da Floresta
Uma Exposição de João Salaviza e Renée Nader Messora

Salas #2, 4, 5 e 8
Clareira
Manuel Rosa
Curadoria de Nuno Faria

Sala #2
A Morte de Ubu
João Louro
Curadoria de Nuno Faria

Programa

23 fevereiro, 16h00
[Sociedade Martins Sarmento]
Conferência com Eduardo Viveiros de Castro

23 fevereiro, 18h00
Inauguração do 1º Ciclo Expositivo do CIAJG

23 fevereiro, 22h30
Concerto Tiago e os Tintos
 
24 fevereiro, 17h00
Ponto de Fuga
Visita Performativa
Criação Nuno Preto
 
20 e 21 março, 21h30
Mostra de Cinema Ameríndio
 
21 março, 18h00
Conferência com Ana Morim de Lima

18 abril, 18h00
Conferência com Eglantina Monteiro
 
Toda a informação em www.ciajg.pt
fechar todos
 
 
 
 
_
 
2019 - O ano zero d’A Oficina*
 
Vimos aqui assinalar o regresso a casa: 30 anos depois, A Oficina cumpriu o desígnio circular do seu próprio logotipo. Nasceu para preservar as “artes e mesteres tradicionais de Guimarães”, como ainda se lê no seu nome social, e acabou a governar uma casa que é um centro interpretativo territorial - do artesanato ao território, uma gigantesca viagem em progressão pelo mundo.
É por isso que chamamos à capa e ao primeiro portefólio desta nova revista a força de trabalho da cooperativa, os da primeira linha da “polinização da cultura”, citando um dos mais antigos. Nos 30 anos, é uma devida homenagem a todos os que por cá passaram e os que vão continuar a “criar futuros” (editorial do GUIdance 2018). 
Mas este ciclo de eterno retorno reclama mesmo por um futuro, novo, como todos os futuros - 2019 é o ano zero d’A Oficina.
Abrimos com um Teatro da Memória que vai evocar, em 3 capítulos, a história e o nosso arquivo, mas também debater publicamente o que queremos da nossa cooperativa. Este não é um pronome possessivo, é plural, ‘nossa’ de todos os cidadãos de Guimarães, nunca fechando as portas aos territórios vizinhos, nem aos parceiros nacionais e internacionais, ‘nossa’ de todos mesmo, exercitando diariamente um belo conceito chamado democracia.
Para começar o debate, algumas palavras-chave possíveis desse futuro: Território e Internacionalização, Criação e Residências Artísticas, Educação e Mediação Cultural. Mas preparem-se para quadrimestres seguintes porque vêm aí em força o Pensamento e a Documentação. E Rede Oficina passará a ser um termo de uso corrente para os agentes culturais e educativos de Guimarães.
Serão esses eixos e essa filosofia de ligação que, a cada dia d’A Oficina, asseguram que não somos uma produtora de eventos no mercado cultural mas um projeto de diferença, diversidade, educação artística, acessibilidade, coesão territorial e, portanto, cidadania. 
Caros concidadãos, segue o nosso mapa comum. Foi desenhado por um colégio de programadores que vos oferece um quadrimestre inteiro num registo inédito de coesão, o início de um novo plano de ação. E um convite à visita - encenada, performativa, cantada, orientada, até dançada, as portas estão abertas, de par em par...
João Pedro Vaz.
 
* Só é possível falar de futuro quando há legado. A Oficina deste novo ciclo deve ao José Bastos a força desse legado. É a minha dedicatória pessoal.
fechar todos
2,00 EUR / 1,00 EUR c/d
Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
Instável (na sua composição) e (sempre) dinâmico, o coletivo Bergado tem vindo a movimentar-se pelo underground do Porto, trabalhando diferentes expressões artísticas, das artes plásticas à performance. Terebentina é a faceta musical do grupo: uma banda que explora sonoridades como o free jazz ou a distorção. Durante três meses vão povoar o CCVF.
Horário da Exposição
terça a sábado
10h00-13h00
14h00-19h00
_
Todas as idades

Unstable (in its composition) and (always) dynamic, the Bergado collective has been making inroads in the Porto underground scene, working in different artistic genres, ranging from the visual arts to the performing arts. Terebentina is the collective’s musical arm – a band that explores sounds such as free jazz and twist. For a 3-month period, they will be setting up home at the CCVF.
fechar todos
COMPRAR BILHETES

Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
_

VENDA DE BILHETES
www.ccvf.pt
oficina.bol.pt
Centro Cultural Vila Flor
Casa da Memória
Centro Internacional das Artes José de Guimarães
Lojas Fnac, El Corte Inglés, Worten
Entidades aderentes da Bilheteira Online
A suprema energia do primeiro olhar.
Na edição anterior foi lançada a ideia de criar futuros, em 2019 o olhar do festival arrisca um movimento prático de construção dessa ambiciosa arquitetura discursiva. Num tempo em que o espaço público é invadido regularmente por manifestações corporais de forma simbólica e explicita – qual ato político espontâneo tendo o corpo por veículo – o GUIdance propõe, à sua 9ª edição, um exercício transformador e vigoroso: a suprema energia do primeiro olhar sobre a criação, com o corpo no centro. Assim, por cima de todo um jogo de tensões, acionado pela imperiosa necessidade de meter mãos à obra, assumem-se riscos fundamentais para propor caminhos não esgotados. Caminhos não percorridos e por isso de forma desconhecida. Ainda que, admitamos, a sua conceção possa recorrer a pedaços de identidades já consumadas. O punk, o drama, a pop, o surrealismo, a beleza mas também o humanismo, a fraternidade e muitas outras relações de cumplicidade, urdidas através do tempo para esta edição, mais do que controladas ou estabelecidas erguem-se contra a previsibilidade e desafiam-nos a rejeitar a ideia de que a compreensão é um dado adquirido. Esta edição é, por isso mesmo, um grande atlas dos sentidos que permite múltiplas possibilidades de relação e de significado. Ou seja, estórias à espera de serem vividas por cada um de nós. Deste eternamente jovem festival, emerge pois um desejo: que o mundo avance por novas convicções e que a arte mantenha a sua desobediência aos padrões. É (também) neste esplendor que um território de criação se edifica, no desafio de construir um programa inesperado e quase pleno de estreias. Muito seu. Porque como afirmou Henry David Thoreau: só podemos apreciar de frente os grandes pensamentos se nos colocarmos do lado de onde eles chegam. Rui Torrinha
 
PROGRAMA
 
Quinta 7 fevereiro, 21h30
CCVF / Grande Auditório
Victor Hugo Pontes
Drama
[ESTREIA ABSOLUTA]
 
Sexta 8 fevereiro, 21h30
Fábrica ASA / Black Box
Mão Morta + Inês Jacques 
No Fim Era o Frio
[ESTREIA ABSOLUTA]
 
Sábado 9 fevereiro, 11h00 e 15h00
CCVF / Pequeno Auditório (palco)
Sara Anjo 
Um Ponto que Dança 
[EDUCAÇÃO E MEDIAÇÃO CULTURAL]
 
Sábado 9 fevereiro, 18h30
CIAJG / Black Box
Maurícia | Neves
anesthetize 
[ESTREIA ABSOLUTA]
 
Sábado 9 fevereiro, 21h30
CCVF / Grande Auditório
Company Wang Ramirez
EVERYNESS
[ESTREIA NACIONAL]
 
Quarta 13 fevereiro, 21h30
CCVF / Grande Auditório
Victor Hugo Pontes 
Fuga Sem Fim
[REMONTAGEM]
 
Quinta 14 fevereiro, 21h30
CCVF / Pequeno Auditório
Útero
Fraternidade I + II
[ESTREIA ABSOLUTA]
 
Sexta 15 fevereiro, 21h30
Fábrica ASA / Black Box
Jonas & Lander
Lento e Largo
[ESTREIA ABSOLUTA]
 
Sábado 16 fevereiro, 11h00 e 15h00
CCVF / Pequeno Auditório (palco)
Ainhoa Vidal 
Oceano 
[EDUCAÇÃO E MEDIAÇÃO CULTURAL]
 
Sábado 16 fevereiro, 18h30
CIAJG / Black Box
Joana von Mayer Trindade & Hugo Calhim Cristovão
Dos Suicidados – O Vício de Humilhar a Imortalidade
[ESTREIA ABSOLUTA]
 
Sábado 16 fevereiro, 21h30
CCVF / Grande Auditório
Michael Clark Company
to a simple, rock ‘n’ roll . . . song.
[ESTREIA NACIONAL]
 
ATIVIDADES PARALELAS
 
MASTERCLASSES

Sexta 8 fevereiro, 16h00-18h00
CCVF / Sala de Ensaios
Masterclasse com Company Wang Ramirez
 
Sexta 15 fevereiro, 16h00-18h00
CCVF / Sala de Ensaios
Masterclasse com Michael Clark Company
 
DEBATES
 
Sábado 9 fevereiro, 16h00
CIAJG / Sala de Conferências
A dança e as outras artes - parte I
Moderado por Cláudia Galhós
 
Sábado 16 fevereiro, 16h00
CIAJG / Sala de Conferências
A dança e as outras artes - parte II
Moderado por Cláudia Galhós
 
TALKS: CONVERSAS PÓS-ESPETÁCULO
 
Sábado 9 fevereiro
Após EVERYNESS
CCVF / Foyer Grande Auditório
Talk com Company Wang Ramirez 
 
Quarta 13 fevereiro
Após Fuga Sem Fim
CCVF / Foyer Grande Auditório
Talk com Victor Hugo Pontes 
 
Sábado 16 fevereiro
Após to a simple, rock ‘n’ roll . . . song.
CCVF / Foyer Grande Auditório
Talk com Michael Clark Company
 
OFICINAS PARA FAMÍLIAS
 
Domingo 10 fevereiro, 11h00
CIAJG
Máquina de fazer Museus 
O corpo como voz do museu
Ángela Diaz Quintela
 
Domingo 17 fevereiro, 11h00
CDMG
Domingos em Casa
O corpo como território de memória 
Ángela Diaz Quintela
 
EMBAIXADORES DA DANÇA
 
Terça 5 fevereiro
Escola Secundária Francisco de Holanda
Embaixadores da Dança 
Adolfo Luxúria Canibal
 
Segunda 11 fevereiro
Escola Secundária Caldas das Taipas
Embaixadores da Dança 
Victor Hugo Pontes
 
CONFERÊNCIAS NAS ESCOLAS
 
Quinta 7 fevereiro
Escola Secundária Santos Simões 
Sexta 8 fevereiro
Asas de Palco – Escola de Artes Performativas
Quarta 13 fevereiro
Escola Secundária Martins Sarmento
Quinta 14 fevereiro
Academia de Bailado de Guimarães
 
ASSINATURA 5 ESPETÁCULOS (à escolha)
30,00 eur | COMPRAR
 
ASSINATURA 4 ESPETÁCULOS (à escolha)
25,00 eur | COMPRAR

ASSINATURA 3 ESPETÁCULOS (à escolha)
20,00 eur | COMPRAR
fechar todos
ENTRADA LIVRE
A dança como arte e linguagem relacional. Desde logo entre artes e linguagens artísticas e domínios diversos do saber, de que a edição de 2019 dá amplos testemunhos: relação entre dança e música, tendencialmente mais em territórios do punk-rock, mas também com o teatro, a literatura ou a filosofia. Por outro lado, relacional também entre graus diferentes de imersão em intimidade e visões mais desumanizadas da vida, entre uma expressividade mais humana e outra mais formal e composta. Em todos eles, há uma perspetiva do mundo que é formulada e posta em tensão, expondo as contradições e incoerências que expressam a pulsão da vida, visceral, bestial, luxuriosa e convulsiva. O belo é sempre um conceito em construção e que está muito no olhar de quem vê.  

Sábado 9 fevereiro, 16h00
CIAJG / Sala de Conferências
A dança e as outras artes - parte I
Moderado por Cláudia Galhós

Sábado 16 fevereiro, 16h00
CIAJG / Sala de Conferências
A dança e as outras artes - parte II
Moderado por Cláudia Galhós

Dance as art and relational language. First of all, between arts and artistic languages and different fields of knowledge, the 2019 edition gives ample testimonies: the relationship between dance and music, tendentially more in the territories of punk rock, but also with theater, literature or philosophy. On the other hand, also relational between different degrees of immersion in intimacy and more dehumanized visions of life, between a more human expressiveness and a more formal and composed one. In all of them there is a perspective of the world that is formulated and put into tension, exposing the contradictions and inconsistencies that express the drive of life, visceral, beastly, lustful and convulsive. The beautiful is always a concept under construction and it is very much in the eye of the beholder.

informação adicional fechar todos

Todas as idades

COMPRAR BILHETES
2,00 EUR
A poesia que se pode imaginar a partir dos animais e plantas que se encontram no fundo do mar é a matéria a partir do qual se constrói Oceano, espetáculo para fazer sonhar crianças dos 6 meses aos 2 anos, criado por Ainhoa Vidal.
 
Público-alvo Crianças dos 6 meses aos 2 anos 
Lotação 36 pessoas (cada criança pode vir acompanhada, no máx., por 2 adultos)
Duração c. 40 min. 

The imagined poetry of animals and plants that meet at the bottom of the ocean is the theme around which Oceano is constructed, a performance created by Ainhoa Vidal to help children, aged 6 months to 2 years, to dream.
informação adicional fechar todos
Criação, Interpretação, Figurinos e Apoio na Cenografia Ainhoa Vidal  
Música Pedro Gonçalves 
Cenografia Carla Martínez
Criação de Luz e Vídeo Nuno Salsinha 
Residência Centro de Dia da Sé 
Produção Célia Costa 
Coprodução São Luiz Teatro Municipal e Teatro Aveirense 
COMPRAR BILHETES
7,50 EUR / 5,00 EUR c/d
Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante
_
Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
O trabalho da dupla Joana von Mayer Trindade e Hugo Calhim Cristovão é singular pela metodologia de trabalho assente num diálogo entre a experimentação, o pensamento e o discurso crítico. Depois de José Régio e Almada Negreiros, prosseguem a sua investigação sobre escritores portugueses, partindo da obra de Raul Leal em Dos Suicidados – O Vício de Humilhar a Imortalidade.
 
ASSINATURA 5 ESPETÁCULOS (à escolha)
30,00 eur | COMPRAR
 
ASSINATURA 4 ESPETÁCULOS (à escolha)
25,00 eur | COMPRAR

ASSINATURA 3 ESPETÁCULOS (à escolha)
20,00 eur | COMPRAR

The work of the duo, Joana von Mayer Trindade and Hugo Calhim Cristovão, is unique, based on a method in which experimentation, thought and critical discourse forge a dialogue. After examining the work of José Régio and Almada Negreiros, they continue their research into Portuguese writers with a look at the work of Raul Leal in Dos Suicidados (O Vício de Humilhar a Imortalidade) (Those who commit suicide (the habit of humbling immortality).
informação adicional fechar todos
Direção, Coreografia, Dramaturgia e Formação Hugo Calhim Cristovão & Joana von Mayer Trindade 
Interpretação Francisco Pinho e André Araújo 
Teoria e Filosofia Ana Mira, Celeste Natário, Cláudia Galhós, Cláudia Marisa, Cristina Aguiar, Ezequiel Santos, Mariana Pinto dos Santos, Mário Correia, Sofia Vilar e Rui Lopo 
Desenho de Luz e Acompanhamento Técnico Cárin Geada 
Figurinos UN T 
Colaboração Cenográfica Jérémy Pajeanc 
Design Eduardo Ferreira 
Vídeo Andrea Azevedo 
Fotografia Susana Neves 
Produção e Difusão Patrícia do Vale - Nuisis Zobop
Coproduções Centro Cultural Vila Flor, Teatro Municipal do Porto, Theatro Circo e Asta- Festival ContraDança
Parcerias Instituto de Filosofia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Instituto de Sociologia da Universidade do Porto, Instituto de Filosofia Luso-Brasileira
Residências Artísticas Forum Dança, Materiais Diversos / 23 Milhas, Circolando, Centro de Criação de Candoso, Teatro Municipal do Porto- Rivoli e Teatro do Campo Alegre, Companhia Instável e Espaço do Tempo
Projeto Financiado por República Portuguesa - Cultura | DGARTES – Direção Geral das Artes
_
Duração 90 min. aprox. 
Maiores de 16 
COMPRAR BILHETES
10,00 EUR / 7,50 EUR c/d
Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante
_
Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
O grande iconoclasta da dança britânica, Michael Clark, estreia-se em Portugal com to a simple, rock ’n’ roll . . . song. (2016). Esta peça em três atos presta homenagem a três das suas fontes de inspiração musical (Erik Satie, Patti Smith e David Bowie), explorando as principais marcas da linguagem artística deste criador: o esbatimento das fronteiras entre o bailado clássico e a dança contemporânea, a moda, a música e as artes visuais.
 
ASSINATURA 5 ESPETÁCULOS (à escolha)
30,00 eur | COMPRAR
 
ASSINATURA 4 ESPETÁCULOS (à escolha)
25,00 eur | COMPRAR

ASSINATURA 3 ESPETÁCULOS (à escolha)
20,00 eur | COMPRAR

The major iconoclast of British dance, Michael Clark, will perform for the first time in Portugal with to a simple, to a simple, rock ’n’ roll . . . song. (2016). This three-act performance pays homage to three of his sources of musical inspiration (Erik Satie, Patti Smith and David Bowie), exploring the major points in his artistic language: the blurring of borders between classical ballet, contemporary dance, fashion, music and the visual arts.

informação adicional fechar todos
Coreógrafo Michael Clark
Designer de Luz Charles Atlas
Figurinos Stevie Stewart e Michael Clark
Com música de Erik Satie, Patti Smith e David Bowie
Bailarinos Harry Alexander, Nicholas BodycH, Melissa Hetherington, Kieran Page, Oxana Panchenko, Rowan Parker, Alice Tagliento, Benjamin Warbis
Diretor Artístico Michael Clark
Diretor Associado Kate Coyne
Diretora Geral Isabelle Drummond
Diretor de Comunicação Patrick Shier
Diretor de Produção Jamie Maisey
Diretora de Palco Louise Green
Diretor de Luz Ben Donoghue
Engenheiro de Som e Vídeo Robert Donnelly-Jackson
Supervisora de Guarda-Roupa Kate Warner
Design do logo original Scott King
Fotografia Hugo Glendinning, Jake Walters
Relações Públicas Charles McDonald
Encomendado por The Barbican, Londres
Coproduzido por The Barbican, Londres, Michael Clark Company, Théâtres de la Ville de Luxembourg 
A Michael Clark Company é uma Associada Artística de Barbican e apoiada através de fundos públicos do Arts Council England
_
Duração 80 min. c/ Intervalo
Maiores de 12 
Esta oficina propõe uma viagem através do território de Guimarães onde o veículo será o nosso próprio corpo. Da mesma forma que a memória de um território se constrói e arquiva, o corpo também tem a sua própria  memória em constante transformação.
 
Criação e Orientação Ángela Diaz Quintela
Público-alvo Maiores de 5 anos
Duração 90 min. 
Lotação mín. 10 / máx. 20 pessoas 
Preço 2,00 eur
_
Inscrição até 14 fevereiro, através de telefone 253424700 ou e-mail mediacaocultural@aoficina.pt
 

This workshop proposes a trip through Guimarães, in which the vehicle will be our own body. Just as the memory of a territory is built and archived, the body also has its own memory in constant transformation.
fechar todos
COMPRAR BILHETES
15,00 EUR / 12,50 EUR c/d
Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
The Tallest Man On Earth, um dos maiores talentos do indie folk mundial, está de regresso a Portugal para três concertos onde apresentará as novas canções do projeto multimédia “When The Bird Sees The Solid Ground”.
Depois de 4 álbuns e 2 EPs editados, The Tallest Man On Earth, nome artístico do cantor e compositor sueco Kristian Matsson, brinda-nos com “When The Bird Sees The Solid Ground”, uma série de 5 webisódios, que começaram por ser disponibilizados em março e que se foram sucedendo ao longo da primavera e do verão. Realizados pelo próprio em ambiente caseiro, os vídeos foram o suporte escolhido para estrear os novos temas, bem como para contar a história por detrás dos mesmos. O tom confessional de “When The Bird Sees The Solid Ground” será agora transportado para palco, numa digressão mundial que, em Portugal, passa por Lisboa e Aveiro, terminando em Guimarães, no Centro Cultural Vila Flor, a 24 de fevereiro.
 
CONCERTO ESGOTADO

The Tallest Man On Earth, one of the greatest indie folk talent in the world, is returning to Portugal for three concerts where he will present the new songs from the multimedia project When The Bird Sees The Solid Ground. After 4 albums and 2 EPs, The Tallest Man On Earth, the stage name of the Swedish singer-songwriter Kristian Matsson, brings us with When The Bird Sees The Solid Ground, a series of 5 webisodes, which began to be made available in March and have been happening throughout the spring and summer. Performed by the himself in home environment, the videos were the chosen support to debut the new themes, as well as to tell the story behind them. The confessional tone of When The Bird Sees The Solid Ground will now be transported to the stage, in a world tour that, in Portugal, passes through Lisbon and Aveiro, finishing in Guimarães, in Centro Cultural Vila Flor, on February 24. 

informação adicional fechar todos

Maiores de 6 

COMPRAR BILHETES
25,00 EUR - Cadeiras de Orquestra
(com oferta de CD)

20,00 EUR - Primeira e Segunda Plateias
A banda de Pedro Gonçalves e Tó Trips regressa ao CCVF para fechar a tour de Odeon Hotel, o disco em que a sua música é feita com mais companheiros do que nunca e trazem o mítico Mark Lanegan como convidado especial.
Pedro Gonçalves and Tó Trips’s band returns to the CCVF to end their Odeon Hotel tour, based on the album on which more collaborators have worked than ever, including the renowned special guest, Mark Lanegan.
informação adicional  |  imagens fechar todos
Tó Trips guitarras
Pedro Gonçalves guitarras, contrabaixo, melódica
Mark Lanegan voz
Alain Johannes guitarras
Alexandre Frazão bateria
Gui sopros, teclas
António Quintino contrabaixo, guitarras
_
Duração 90 min.
Maiores de 6
COMPRAR BILHETES
5,00 EUR
Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
Depois de ter mapeado a música independente que se faz a partir de Guimarães com Som de GMR – abrindo a programação do Café Concerto apenas com bandas locais durante 2017 –, o CCVF olha para o outro lado do “movimento” da música alternativa da cidade. Três promotoras com trabalho de programação regular têm carta-branca para escolher o som que passa pelo Café Concerto.
O ciclo Musicadoria arranca em fevereiro (2) com um duplo concerto, que junta o projeto nacional Jibóia – que tem um novo disco editado pela londrina Discrepant – e Dada Garbeck, alter-ego do músico vimaranense Rui Souza (do trio El Rupe), que irá apresentar o seu disco de estreia, editado com selo da Revolve. A programação continua no mês seguinte (8), com o concerto da superbanda portuguesa Keep Razors Sharp, que estarão a chegar do Eurosonic 2019, com o segundo disco, Overcome, na mão. A escolha é do espaço cultural Banhos Velhos. O ciclo prolonga-se em abril (27) com a nova pérola do rock espanhol, Marem Ladson, que aos 19 anos surpreendeu o país vizinho com o seu homólogo disco de estreia, uma proposta da Capivara Azul – Associação Cultural.

SÁBADO 2 FEVEREIRO, 23H00
Jibóia 
Dada Garbeck
[Revolve]

SEXTA 08 MARÇO, 23H00
Keep Razors Sharp
[Banhos Velhos]

SÁBADO 27 ABRIL, 23H00
Marem Ladson
[Capivara Azul - Associação Cultural]
After having mapped the independent music produced in Guimarães with Som de GMR – which solely programmed local bands in the Café Concerts in 2017 –, the CCVF looks at the flip side of the city´s alternative music "movement". Three promoters with regular programming work will be given carte blanche to choose the sounds to be heard in the Café Concert.
Three promoters with regular programming work will be given carte blanche to choose the sounds to be heard in the Café Concert. The music cycle will begin on February 2 with a double concert, combining the Portuguese project, Jibóia - which has a new album released by the London-based label, Discrepant - and Dada Garbeck, the alter ego of the Guimarães-based musician, Rui Souza (from the trio, El Rupe), who will present his debut album, edited with Revolve´s label. The programme will continue on March 6, with a concert by the Portuguese super band, Keep Razors Sharp, fresh from performing in Eurosonic 2019, and soon to release their second album, Overcome. The choice was made by the cultural space, Banhos Velhos. The cycle will continue in April 27, chosen by Capivara Azul - Cultural Association, with the new star of Spanish rock, Marem Ladson, who at the age of 19 surprised Spain with his eponymous debut album. 
informação adicional fechar todos

Maiores de 12

COMPRAR BILHETES
7,50 EUR / 5,00 EUR c/d
Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
Estamos quase a meio da tour de force da bailarina e coreógrafa Cláudia Dias, que se propõe fazer sete peças em sete anos. Depois de Segunda-Feira e Terça-Feira – que estiveram no CCVF em novembro – chega Quarta-Feira: O Tempo das Cerejas. Uma reflexão sobre o poder, com o neoliberalismo em fundo, na companhia do marionetista Igor Gandra.
We are almost half way through the tour de force by dancer and choreographer Cláudia Dias, who will perform seven performances in seven years. After Segunda-Feira and Terça-Feira – staged at the CCVF in November – it’s time for Quarta-Feira: the time of cherries. An examination of power, with neoliberalism in the background, in the company of puppeteer, Igor Gandra.
informação adicional fechar todos
Direção Artística Cláudia Dias
Artista Convidado Igor Gandra
Intérpretes Cláudia Dias e Igor Gandra
Assistente Técnico e Artístico Karas
Cenário e Marionetas Igor Gandra e Cláudia Dias
Realização Plástica Eduardo Mendes
Oficina de Construção Igor Gandra, Cláudia Dias, Karas, Eduardo Mendes, Daniela Gomes e Nádia Soares
Desenho de Luz e Direção Técnica Nuno Borda de Água
Acompanhamento Crítico Jorge Louraço Figueira
Residências Artísticas TMP/Teatro Campo Alegre, Teatro de Ferro, Companhia de Dança de Almada, Centro de Experimentação Artística do Vale da Amoreira. Cláudia Dias é artista associada de O Espaço do Tempo.
Coprodução Maria Matos TM, Teatro Municipal do Porto, Centro Cultural Vila Flor
Produção Alkantara
O Projeto Sete Anos Sete Peças tem o apoio da Câmara Municipal de Almada
Alkantara – A.C. é uma estrutura financiada por República Portuguesa | Cultura/Direção-Geral das Artes e 
Câmara Municipal de Lisboa
_
Duração c. 60 min. s/intervalo
Maiores de 12
2,00 EUR
Armazéns, elevadores, corredores. Os bastidores do CCVF são o cenário e a inspiração para esta visita encenada que mostra um lado deste centro cultural raramente visto.
APRESENTAÇÕES
 
DOMINGOS 17 MARÇO | 14 ABRIL 17H00
PÚBLICO GERAL / FAMÍLIAS
 
SEGUNDAS 18 MARÇO | 15 ABRIL 10H30 e 15H00
PÚBLICO GERAL / GRUPOS ESCOLARES E OUTRAS INSTITUIÇÕES
 
Público-alvo Maiores de 6
Duração c. 90 min.
Lotação 25 pessoas
_
Marcações de grupos escolares/instituições com, pelo menos, uma semana de antecedência,
através de telefone 253 424 700 ou e-mail mediacaocultural@aoficina.pt
(lotação mín. 10 / máx. 25 pessoas / 1 turma)
_
Espetáculo não recomendável a pessoas com mobilidade reduzida
Warehouses, lifts, corridors. What goes on behind the scenes at the CCVF is the inspiration for this staged visit that provides a behind-the-scenes view of this cultural centre, that is rarely seen by the public.
informação adicional fechar todos
PROJETO VENCEDOR
1ª BOLSA GANGUE DE GUIMARÃES
 
Encenação e Dramaturgia Manuela Ferreira*
Texto Ana Arqueiro
Intérpretes Mário Alberto Pereira*, Rita Morais* e Tiago Porteiro*
Com a participação especial Helena Ribeiro
Design de Luz Carlos Ribeiro
Design de Som Nuno Eiras
 
*Artistas do Gangue de Guimarães
COMPRAR BILHETES
7,50 EUR/ 5,00 EUR c/d
LOCAL Black Box do Centro Internacional das Artes José de Guimarães

Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
Antecipando o Westway LAB, onde o Canadá será o país em foco, o afro-canadiano Pierre Kwenders traz ao Centro Internacional das Artes José de Guimarães a sua música idiossincrática, cruzando a rumba da República Democrática do Congo – onde tem raízes – com o R&B e o hip-hop da paisagem sonora norte-americana.
Anticipating Westway LAB, featuring Canada as the focus country, Afro-Canadian Pierre Kwenders brings his distinctive musical style to the José de Guimarães International Centre of Arts, crossing rumba from the Democratic Republic of Congo – where he has roots – eith R&B and hip-hop from North America’s sound landscape.
informação adicional fechar todos

Maiores de 12

Pelo terceiro ano consecutivo, o CCVF recebe um fim de semana intensivo que aposta em contribuir para impulsionar o Novo Circo em Portugal.
Do programa fazem parte dois espetáculos: Três, peça para três intérpretes e mastro chinês, uma criação que junta o português Leonardo Duarte Ferreira, a brasileira Joana Nicioli e o francês Antonin Bailles; e Lähtö / Départ, a mais recente produção da companhia WHS, dirigida pelo mágico e artista visual Kalle Nio e inspirado pelo trabalho dos ilusionistas do século XIX.
 
Programa

SÁBADO 23 MARÇO, 16H00
CCVF / Palácio Vila Flor
Debate
Entrada livre
 
SÁBADO 23 MARÇO, 18H30
CCVF / Pequeno Auditório
Três
Groupe Zède
[Estreia Nacional]
Preço 7,50 eur | COMPRAR
 
SÁBADO 23 MARÇO, 21H30
CCVF / Grande Auditório
Lähtö / Départ
WHS 
Preço 10,00 eur | COMPRAR
 
Bilhete conjunto (Três + Lähtö / Départ) 12,50 eur | COMPRAR
 
SEGUNDA 25 MARÇO, 16H00
CCVF / Sala de Ensaios
Masterclasse WHS
Preço 15,00 eur [com acesso ao espetáculo Lähtö / Départ]

For the third year running, the CCVF has an intensive weekend programme that aims to boost new circus in Portugal. The programme includes two shows: Three, a play for three performers and a Chinese conductor, is a creation that combines Leonardo Duarte Ferreira (Portugal), Joana Nicioli (Brazil) and Antonin Bailles (France); and Lähtö / Départ, the most recent production by the company WHS, directed by the magician and visual artists, Kalle Nio and inspired by the work of the 19th-century illusionists.
fechar todos
COMPRAR BILHETES
2,00 EUR
O ilustrador António Jorge Gonçalves encena um espetáculo com narradora, clarinetista e magia cénica, a partir de O Convidador de Pirilampos, livro de 2017 que resultou da sua segunda colaboração com o escritor Ondjaki.
Famílias e Público Geral
Sábado 6 abril, 11h00
Sexta 12 abril, 15h00
 
Grupos Escolares
Segunda 8 a Quinta 11 abril, 10h30 e 15h00
Sexta 12 abril, 10h30
_
Público-Alvo Maiores de 4 anos  
Duração c. 40 min.
The illustrator, António Jorge Gonçalves, stages a performance with a narrator, clarinet player and scenic magic, from O Convidador de Pirilampos, the book published in 2017 that resulted from his second collaboration with the writer, Ondjaki.
informação adicional fechar todos
Texto Ondjaki 
Dramaturgia e Encenação António Jorge Gonçalves  
Realização Plástica António Jorge Gonçalves e Paula Delecave 
Com Cláudia Semedo (Narradora) e José Conde (Músico) 
Produção Nuno Pratas/Culturproject
Brincar com botões, experimentar e, no meio do processo, fazer música.O coletivo Sonoscopia desenvolve há longos anos projetos de exploração de música eletrónica para o público infantil, uma experiência que traz agora para o contexto do festival Westway LAB.
Criação e Orientação Sonoscopia
Público-alvo Jovens 6 – 15 anos 
Apresentação pública final sexta 12 abril, 17h30
Preço 30,00 eur (sem almoço) / 55,00 eur (com almoço)
Inscrição até 1 abril, através de telefone 253424700 ou e-mail mediacaocultural@aoficina.pt
 
INSCRIÇÃO EM 2 OFICINAS DE FÉRIAS DE PÁSCOA
Preço 50,00 eur (sem almoço) / 100,00 eur (com almoço)
 
2ª SEMANA
OFICINA DE FÉRIAS DE PÁSCOA 
15 A 18 ABRIL
Oficina de Animação
Laura Gonçalves
Casa da Memória
Mais informação em www.casadamemoria.pt
Playing with buttons, experimenting and, in the middle of the process, making music.
The Sonoscopia collective has been developing projects for many years that explore electronic music for children that is now brought to the Westway LAB festival.
fechar todos
COMPRAR BILHETES
2,00 EUR
Armazéns, elevadores, corredores. Os bastidores do CCVF são o cenário e a inspiração para esta visita encenada que mostra um lado deste centro cultural raramente visto pelo público.
APRESENTAÇÕES
 
DOMINGO 14 ABRIL 17H00
PÚBLICO GERAL / FAMÍLIAS
 
SEGUNDA 15 ABRIL 10H30 e 15H00
PÚBLICO GERAL / GRUPOS ESCOLARES E OUTRAS INSTITUIÇÕES
 
Público-alvo Maiores de 6
Duração c. 90 min.
Lotação 25 pessoas
_
Marcações de grupos escolares/instituições com, pelo menos, uma semana de antecedência,
através de telefone 253 424 700 ou e-mail mediacaocultural@aoficina.pt
(lotação mín. 10 / máx. 25 pessoas / 1 turma)
_
Espetáculo não recomendável a pessoas com mobilidade reduzida
Warehouses, lifts, corridors. What goes on behind the scenes at the CCVF is the inspiration for this staged visit that provides a behind-the-scenes view of this cultural centre, that is rarely seen by the
informação adicional fechar todos
PROJETO VENCEDOR
1ª BOLSA GANGUE DE GUIMARÃES
 
Encenação e Dramaturgia Manuela Ferreira*
Texto Ana Arqueiro
Intérpretes Mário Alberto Pereira*, Rita Morais* e Tiago Porteiro*
Com a participação especial Helena Ribeiro
Design de Luz Carlos Ribeiro
Design de Som Nuno Eiras
 
*Artistas do Gangue de Guimarães
No mês do centenário de Merce Cunningham, o CCVF celebra o Dia Mundial da Dança com o espetáculo Not a moment too soon, solo interpretado por Trevor Carlson, o último diretor da companhia de Cunningham. Este será o culminar de uma semana de celebração que inclui um programa de formação para escolas de dança e a projeção de filmes feitos pelo coreógrafo nos últimos anos de vida.
Programa

22 A 26 ABRIL
Workshop c/ Escolas de Dança

27 ABRIL
Ensaio Aberto

28 ABRIL
Film Forums + Conversa
Mondays with Merce

29 ABRIL, 21h30
Not a moment too soon
Merce Cunningham Trust
Preço 10,00 eur / 7,50 eur c/d | COMPRAR
 

 In the month that commemorates Merce Cunningham’s centenary, the CCVF will celebrate World Dance Day with the solo performance, Not a moment too soon, performed by Trevor Carlson, the last director of Cunningham’s dance company. This will be the culmination of a week of celebrations which will include a training programme for dance schools and screening of films made by the choreographer in the final years of his life.

fechar todos
2,00 EUR / 1,00 EUR c/d
Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
Num mês de presença intensiva nos vários espaços d’A Oficina, a Sonoscopia inaugura uma exposição que parte da ideia de “colecionismo sónico”.
O som e a música podem provir de qualquer lugar, desde objetos inusitados ou partes em construção de instrumentos até às instalações sonoras construídas pelos membros deste coletivo a partir de coisas tão díspares como computadores ou gavetas de madeira.
During a month of intensive presence in the various spaces of A Oficina, Sonoscopia will inaugurate an exhibition based on the idea of “sound collecting”.
Sound and music can come from anywhere – from unusual objects, or instrument parts under construction, to the sound installations built by members of this collective using a wide array of different objects, such as computers or wooden drawers. 
fechar todos
COMPRAR BILHETES
5,00 EUR
Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
Depois de ter mapeado a música independente que se faz a partir de Guimarães com Som de GMR – abrindo a programação do Café Concerto apenas com bandas locais durante 2017 –, o CCVF olha para o outro lado do “movimento” da música alternativa da cidade. Três promotoras com trabalho de programação regular têm carta-branca para escolher o som que passa pelo Café Concerto.
O ciclo Musicadoria arranca em fevereiro (2) com um duplo concerto, que junta o projeto nacional Jibóia – que tem um novo disco editado pela londrina Discrepant – e Dada Garbeck, alter-ego do músico vimaranense Rui Souza (do trio El Rupe), que irá apresentar o seu disco de estreia, editado com selo da Revolve. A programação continua no mês seguinte (8), com o concerto da superbanda portuguesa Keep Razors Sharp, que estarão a chegar do Eurosonic 2019, com o segundo disco, Overcome, na mão. A escolha é do espaço cultural Banhos Velhos. O ciclo prolonga-se em abril (27) com a nova pérola do rock espanhol, Marem Ladson, que aos 19 anos surpreendeu o país vizinho com o seu homólogo disco de estreia, uma proposta da Capivara Azul – Associação Cultural.
 
SÁBADO 2 FEVEREIRO, 23H00
Jibóia 
Dada Garbeck
[Revolve]

SEXTA 08 MARÇO, 23H00
Keep Razors Sharp
[Banhos Velhos]

SÁBADO 27 ABRIL, 23H00
Marem Ladson
[Capivara Azul - Associação Cultural]
After having mapped the independent music produced in Guimarães with Som de GMR – which solely programmed local bands in the Café Concerts in 2017 -, the CCVF looks at the flip side of the city´s alternative music "movement". Three promoters with regular programming work will be given carte blanche to choose the sounds to be heard in the Café Concert.
The music cycle will begin on February 2 with a double concert, combining the Portuguese project, Jibóia - which has a new album released by the London-based label, Discrepant - and Dada Garbeck, the alter ego of the Guimarães-based musician, Rui Souza (from the trio, El Rupe), who will present his debut album, edited with Revolve´s label. The programme will continue on March 6, with a concert by the Portuguese super band, Keep Razors Sharp, fresh from performing in Eurosonic 2019, and soon to release their second album, Overcome. The choice was made by the cultural space, Banhos Velhos. The cycle will continue in April 27, chosen by Capivara Azul - Cultural Association, with the new star of Spanish rock, Marem Ladson, who at the age of 19 surprised Spain with his eponymous debut album. 
informação adicional fechar todos

Maiores de 12

COMPRAR BILHETES
15,00 EUR / 12,50 EUR c/d
Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
Julia Holter vem ao Centro Cultural Vila Flor apresentar o seu mais recente trabalho, "Aviary".
Num tempo particularmente difícil, em que o mundo acontece a uma velocidade estonteante e quase ficamos ensurdecidos pelo enorme ruído que chega de todos os lados, Holter faz um disco sublime que obriga a desacelerar. A urgência de parar, de ouvir a importância do silêncio, de dar um significado às coisas. A música de Holter ostenta arranjos vocais ousados sobre teclas vulneráveis, construindo fortalezas sonoras que se aparentam efémeras, mas renascem robustas e culminam em noventa minutos de belas canções.
informação adicional fechar todos
Julia Holter voz, teclas
Sarah Belle Reid trompete
Dina Maccabee violino, viola, voz
Andrew Jones contrabaixo
Tashi Wada sintetizadores, gaita de foles
Corey Fogel percussão
COMPRAR BILHETES
25,00 EUR (1ª Plateia)
23,00 EUR (2ª Plateia)
Os Nouvelle Vague regressam a Portugal para celebrar o 15º aniversário do lançamento do primeiro disco.
Banda de culto desde 2004, os Nouvelle Vague têm uma relação especial com o público português, esgotando concertos a cada passagem. Nesta nova visita a Guimarães, a banda de Marc Collin e Olivier Libaux sobe ao palco do CCVF para nos presentear com uma tournée acústica de temas clássicos e outros inéditos, interpretados pelas suas vocalistas mais icónicas e acarinhadas, Phoebe Killdeer e Melanie Pain.
informação adicional fechar todos
Marc Collin teclas
Olivier Libaux guitarra
Melanie Pain voz
Phoebe Killdeer voz
_
Duração 60 min.
Maiores de 6
2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800