Youtube Link   Facebook Link Twitter Link
REVISTA A OFICINA MAIO-AGOSTO 2019 [versão digital]
 
2019, LUZ SOBRE AS PRAÇAS
Os 30 anos d´A Oficina foram ocasião para começarmos a falar, a cada quadrimestre, do que queremos do nosso presente comum. E o primeiro do ano foi um quadrimestre intenso: um fortíssimo mês de janeiro, a mais concorrida edição do GUIdance pós-Capital, um Pensamento Ameríndio muito participado, um Teatro Oficina a revolver os seus arquivos, o Teatro da Memória a fazer-se primeiro corpo e, depois, lugar, na Casa da Memória, um Westway LAB a fazer o seu caminho de experimentação. E novas ações de Mediação Cultural a darem vida e ainda mais mundo ao Museu e etc, etc, etc. 
Foi muito intenso e só seria possível com a força de trabalho que o número 1 desta revista tão bem revelou – n´A Oficina são as equipas quem mais ordena (escrevo nas vésperas do 25 de abril e acho possível a revolução)!
Também os debates foram acesos. Pouco participados (iremos trabalhar mais nisso, de debater abertamente), mas acesos. Ainda bem, porque isso quer dizer que A Oficina não é um projeto indiferente ao seu território, nem a ninguém, que provoca acesas paixões, que está no centro do debate, que esclarece que relação queremos ter, que projeta que futuro significamos. 
Um destes dias, o sol raiava na fachada do CIAJG iluminada de Pensamento Ameríndio e estava uma tarde gloriosa na praça da Plataforma das Artes. Mas noutro dia, de chuva intensa, os novos pendões brancos do Alfabeto Africano do José de Guimarães ainda projetavam luz sobre a praça. Bela metáfora: mesmo em dias desses, mais cinzentos, A Oficina deste futuro quer projetar luz sobre as praças. Abram-se as janelas, todas, luz cá para dentro, luz sobre as praças! 
João Pedro Vaz

2019, LIGHT ON THE SQUARES
A Oficina´s 30th anniversary has offered a wonderful opportunity to discuss, on a four-monthly basis, what we want from today’s world. The first four months of 2019 were extremely intense: January was particularly hectic, with the busiest ever edition of GUIdance since the 2012 Guimarães European Capital of Culture, a high level of attendance for Amerindian Thought, Teatro Oficina revolved its archives, the Theatre of Memory began and an experimental Westway LAB was hosted in the Casa da Memória. New Cultural Mediation initiatives were also launched, bringing even greater life to the Museum, etc, etc, etc. 
It was a really intense period and was only possible due to the effort highlighted in the first issue of this magazine.
It´s the teams that run the show at A Oficina (I’m writing thus just before the anniversary of the April 25, 1974 Revolution and I still think the revolution is possible)!
We also had many heated debates. Attendances could have been higher (we’re working on this, to ensure more open debate), but there was vigorous discussion. Just as well, because this means that A Oficina pays close to attention to its local context and people, igniting fierce passions. A Oficina stands at the centre of these discussions, that clarify what type of relationship we want to have, and help us project the future that we are striving to attain.
On one of these days, the sun was shining on the façade of the CIAJG, illuminating the Amerindian Thought exhibition, and it was a glorious afternoon in the public square in front of the Platform of the Arts. On another day, of intense rainfall, the new white banners of José de Guimarães´s African Alphabet exhibition cast light on the square. It was a beautiful metaphor: even on grey days, A Oficina wants to cast light on the squares. Let´s open all the windows, let the sunlight shine inside, light up the squares!
João Pedro Vaz
fechar todos
O Guimarães Jazz já tem datas confirmadas no calendário de 2019. De 7 a 16 de novembro, o jazz vai imperar na cidade berço e a pré-venda da assinatura do festival – que dá acesso aos 13 concertos desta edição – vai estar disponível entre 25 de junho e 6 de julho por um valor especial.
Em 2019, na sua 28ª edição, o Guimarães Jazz cumpre mais uma etapa de um percurso de quase três décadas de divulgação do jazz de todas as épocas e de todos os estilos, sem outro critério senão a integridade e a qualidade da música e dos músicos que nele se apresentam. O programa deste ano denota, tal como habitualmente, um grande equilíbrio nas suas escolhas, numa tentativa de alcançar o máximo de amplitude possível na representação das diferentes gerações e estilos que marcam o jazz do presente.

Entre 25 de junho e 6 de julho, a assinatura do Guimarães Jazz 2019 – que permite assistir aos 13 concertos do festival – tem um valor de 72,00 euros, ou seja, um desconto especial de 20%. Após este período, o valor da assinatura assume o valor de 90,00 euros. Os nomes que compõem o cartaz do Guimarães Jazz serão conhecidos a partir do dia 7 de julho.

PRÉ-VENDA ASSINATURA GUIMARÃES JAZZ [25 JUNHO - 6 JULHO] 
72,00 eur [20 % desconto]
fechar todos
ENTRADA LIVRE
Co/Lapse é uma performance audiovisual composta por vários fragmentos musicais que vão sendo expostos por ordens cronológicas imaginárias, numa narrativa construída pelas diversas associações individuais feitas pelo público.
A matéria-prima é baseada na controversa obra de Pedro Cabrita Reis, exposta no Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso, e consiste na dureza do tijolo e do cimento, que serão utilizados nesta criação como elementos de edificação e destruição de formas e motivos sonoros. A apresentação desta performance está marcada para o dia 28 de junho, às 18h30, no âmbito da exposição Disposofónicos: Acumuladores de Objetos Sonantes, da Sonoscopia, que pode ser visitada no Palácio Vila Flor até 13 de julho.
informação adicional fechar todos
Conceção e performance Gustavo Costa e Henrique Fernandes
Vídeo Augusto Lado
Produção Sonoscopia
 
COMPRAR BILHETES
10,00 EUR
A Asas de Palco – Escola de Artes Performativas, em coprodução com o CCVF, apresenta "A páginas tantas, a tua vida do avesso!", um espetáculo que junta movimento e palavra, com interpretação e cocriação de alunos e ex-alunos.
Uma tarde. De domingo. Igual a tantas outras. Aborrecida.
Mas quando um visitante imprudente deixa as páginas abrirem-se ao sabor do acaso, as primeiras a escapulirem-se são as palavras. 
E se as palavras ganharem vida e te virarem a vida do avesso?
Será uma noite de sábado. Com palavras. Com movimento. 
informação adicional fechar todos
Direção Artística Vânia Soares Barbosa
Encenação Eva Ribeiro
Textos Eva Ribeiro e Francis Brosseron
Coreografia Natacha Cunha, Sofia Ribeiro, Vânia Soares Barbosa
Interpretação e cocriação Alunos e ex-alunos de Asas de Palco, Escola de Artes Performativas
Desenho de Luz Luís Bastos
Cenografia Isabel Roque, Francis Brosseron, Vânia Soares Barbosa
Assistência à Produção Mariana Silva, Sara Xavier
Coprodução Asas de Palco - Escola de Artes Performativas, Centro Cultural Vila Flor
_
Duração 75/90 min.
Maiores de 6
COMPRAR BILHETES
2,00 EUR
Num tempo em que há protagonistas públicos a proclamar que “menino veste azul e menina veste rosa”, este espetáculo em que Catarina Requeijo questiona os estereótipos de género e o modo como, de forma mais ou menos voluntária, estes são reforçados na educação das crianças – na família, na escola e em outros espaços da sua formação. Uma criação pensada para público dos três aos seis anos, mas também para pais e educadores.
Sessões
Sexta 5 julho, 15h00
Sábado 6 julho, 11h00 e 15h00

At a time when some people still say that "boys wear blue and girls wear pink", in this performance Catarina Requeijo questions gender stereotypes and how, more or less voluntarily, they tend to be reinforced during children’s education - in the family, in schools and in other educational contexts. A work intended for children aged 3-6 and also for parents and educators.
informação adicional fechar todos
Encenação Catarina Requeijo 
Interpretação Marta Cerqueira e João Nuno Monteiro 
Cenografia e figurinos Maria João Castelo 
Desenho de luz José Álvaro Correia 
Pesquisa em contexto escolar Catarina Requeijo e Vera Alvelos 
Assessoria artística Miguel Fragata
Produção Maria João Santos 
Coprodução Formiga Atómica Associação Cultural, Teatro São Luiz, Centro de Artes de Ovar, Centro Cultural Vila Flor e Cine-Teatro Louletano  
_
Duração 40 min.
Maiores de 3
2,00 EUR / 1,00 EUR c/d
Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
A Sonoscopia apresenta uma exposição que parte da ideia de “colecionismo sónico”. O som e a música podem provir de qualquer lugar, desde objetos inusitados ou partes em construção de instrumentos até às instalações sonoras construídas pelos membros deste coletivo a partir de coisas tão díspares como computadores ou gavetas de madeira.
Horário da Exposição
terça a sábado
10h00-13h00
14h00-19h00
 
Sonoscopia will inaugurate an exhibition based on the idea of “sound collecting”.
Sound and music can come from anywhere – from unusual objects, or instrument parts under construction, to the sound installations built by members of this collective using a wide array of different objects, such as computers or wooden drawers. 
fechar todos
Bilheteira da responsabilidade do Cineclube de Guimarães
DOMINGO 14 JULHO, 21H45
Noites Mágicas
De Paolo Virzi
Com Mauro Lamantia, Giovanni Toscano, Ornella Muti
2018 | M/12 | 125 min.
 
QUINTA 18 JULHO, 21H45
Na Fronteira
De Ali Abbasi
Com Eva Melander, Eero Milonoff, Jörgen Thorsson, Ann Petrén
2018 | M/12 | 110 min.
fechar todos
COMPRAR BILHETES
10,00 EUR / 7,50 EUR c/d
Os detentores do bilhete têm acesso gratuito às exposições do CIAJG no dia do espetáculo.

_

Preços com desconto (c/d)
Cartão Jovem, Menores de 30 anos e Estudantes
Cartão Municipal de Idoso, Reformados e Maiores de 65 anos
Cartão Municipal das Pessoas com Deficiência; Deficientes e Acompanhante

Cartão Quadrilátero Cultural_desconto 50%
Aline Frazão é angolana e na sua música cabe certamente o semba, mas também a morna de Cabo Verde e a bossa do Brasil, num cruzamento que dá a esta compositora um lugar particular.
Estas influências são bem evidentes em “Dentro da Chuva”, o seu quarto disco, tido como uma das melhores edições que saíram em Portugal no ano passado e que agora apresenta na Black Box do CIAJG. A cantora e compositora não estará sozinha. Consigo toca também um trio composto por Jéssica Pina (trompete e flugelhorn), Mayó (baixo) e Ivan Campillo (percussão). O concerto de Aline Frazão inaugura Terra, um ciclo de programação de músicas do mundo, construído em parceria com a Capivara Azul – Associação Cultural, que vai buscar inspiração à coleção permanente do Centro Internacional das Artes José de Guimarães – não apenas às peças de arte africana e pré-colombiana, mas também às obras do artista plástico que dá nome ao museu. Foi precisamente em Angola que José de Guimarães se começou a definir como artista e esse é o motivo pelo qual a programação de Terra é inaugurada por Aline Frazão. 
O ciclo prolonga-se até ao final do ano com outros dois concertos. Em setembro (dia 28) apresenta-se, em estreia absoluta em Portugal, Otim Alpha, músico que pegou na música tradicional de casamento do Norte do Uganda, o Acholi, e transformou-a num novo género, uma versão híper-frenética e eletrónica, crismada como Acholitronix. É festa garantida.
A partir da Europa, mas a olhar para outras latitudes – da bacia do Mediterrâneo a África – criam os Zulu Zulu, banda baseada em Palma de Maiorca, em Espanha. Com uma iconografia própria, quase teriantrópica, vão estar em residência artística no CIAJG e no Centro de Criação de Candoso a preparar novo material que será estreado no concerto marcado para 23 de novembro.
 
PRÓXIMOS CONCERTOS
 
SÁBADO 28 SETEMBR0, 21H30
CIAJG / BLACK BOX
OTIM ALPHA 
(UGANDA)
7,00 eur / 5,00 eur c/d | COMPRAR
 
SÁBADO 23 NOVEMBRO, 21H30
CIAJG / BLACK BOX
ZULU ZULU 
(ESPANHA)
7,00 eur / 5,00 eur c/d | COMPRAR
 
PASSE TERRA [3 CONCERTOS] 20,00 eur | COMPRAR

Aline Frazão is Angolan and her music certainly includes influences of semba, but also morna from Cape Verde and bossa from Brazil, at a crossroads that creates a distinctive mark for this composer. These influences are evident in her fourth album, “Dentro da Chuva” (Inside the Rain), considered to be one of the best albums released in Portugal last year and that is now presented in the CIAJG’s Black Box. The singer and songwriter won’t be alone. She will be joined by a trio consisting of Jéssica Pina (trumpet and flugelhorn), Mayó (bass) and Ivan Campillo (percussion). Aline Frazão’s concert inaugurates Terra, a world music programme developed in partnership with Capivara Azul - Cultural Association, which will seek inspiration from the permanent collection of the José de Guimarães International Centre for the Arts - not just African and pre-Columbian art works, but also works by José de Guimarães himself. It was precisely in Angola that the latter began to define himself as an artist, which is why the Terra cycle will be inaugurated by Aline Frazão. This cycle continues until the end of 2019 with two further concerts. On 28 September, there will be a world premiere of Otim Alpha, a musician who took traditional wedding music from Northern Uganda, the Acholi, and transformed it into a new genre, hyper-frenetic and electronic, acclaimed as Acholitronix. It´s guaranteed entertainment!
Zulu Zulu, based in Palma de Mallorca, Spain, is from Europe, but looks towards other latitudes - from the Mediterranean basin to Africa. With their own iconography, almost theriantropic, the band will take part in an artistic residency in the CIAJG and in the Candoso Creation Centre to prepare new material that will be premiered in the concert on November 23.
informação adicional fechar todos
Aline Frazão voz, guitarra e kissange
Jessica Pina trompete e flugelhorn
Mayó baixo
Ivan Campillo percussão
_
Duração c. 60 min.
Maiores de 6
COMPRAR BILHETES
10,00 EUR
A Academia de Bailado de Guimarães, em coprodução com o CCVF, apresenta "Ligno", uma criação dirigida por cinco professoras da Academia e que conta com a participação de todos os alunos de dança clássica, danças urbanas e dança contemporânea.
Quando a natureza te conta uma história e a transformas numa canção de embalar, adormeces num sono solto onde o sonho tem lugar. Nesse sonho vês lá em cima algo que queres alcançar mas quando chegas ao topo ainda tens muito para caminhar. O que há para lá da colina dá-te agora um novo olhar. Queres estar perto e estás tão longe.... afinal é só a sonhar.
informação adicional fechar todos
Coreografia Helena Sousa, Inês Donas, Luísa Ferreira, Maria Soares e Rute Ferreira
Desenho de Luzes Ricardo Santos
Sonoplastia Estúdio Alfaiate 
Textos Helena Sousa e alunas da academia
Fotografia Madalena Gonçalves 
Audiovisuais Imagem Curiosa  
Operação de Som, Iluminação e Audiovisuais CCVF
Adereços, Cenários e Figurinos Ballet Rosa, Helena Sousa, Milita Marinho
Coprodução Academia de Bailado de Guimarães e Centro Cultural Vila Flor
_
Duração 90 min.
Maiores de 6
COMPRAR BILHETES
25,00 EUR
1ª Plateia
23,00 EUR
2ª Plateia
Os Nouvelle Vague regressam a Portugal para celebrar o 15º aniversário do lançamento do primeiro disco. Banda de culto desde 2004, os Nouvelle Vague têm uma relação especial com o público português, esgotando concertos a cada passagem. Nesta nova visita a Guimarães, a banda de Marc Collin e Olivier Libaux sobe ao palco do CCVF para nos presentear com uma tournée acústica de temas clássicos e outros inéditos, interpretados pelas suas vocalistas mais icónicas e acarinhadas, Phoebe Killdeer e Melanie Pain.
informação adicional fechar todos
Marc Collin teclas
Olivier Libaux guitarra
Melanie Pain voz
Phoebe Killdeer voz
_
Duração 60 min.
Maiores de 6
2º CICLO EXPOSITIVO 2019
 
Sábado 29 junho, 17h00
Conferência com Emanuele Coccia
 
Sábado 29 de junho, 21h30
Inauguração das Exposições:
 
Geometria Sónica
Francisco Janes, Francisco Queimadela e Mariana Caló, Jonathan Uliel Saldanha,
Laetitia Morais, Manon Harrois, Miguel Leal, Mike Cooter, Pedro Tropa,
Pedro Tudela, Ricardo Jacinto, Sara Bichão , Tomás Cunha Ferreira
 
Carlos Bunga
Arquitetura da Vida

Sábado 29 junho, 23h00
Performances/Concerto
Noite Sónica
Ricardo Jacinto e Pedro Tropa
Manon Harrois
Francisco Janes
Tomás Cunha Ferreira
Pedro Tudela

Domingo 30 junho, 11h00
Oficina para Famílias
Máquina de Fazer Museus | Ver o Invisível
Nuno Preto

_
 
Sábado 20 julho, 21h30
Aline Frazão
Terra - Ciclo de World Music
Capivara Azul - Associação Cultural
 
 
>> Toda a informação em www.ciajg.pt
fechar todos
Sexta 12 e Sábado 13 julho, 15h00  
Oficina de Olaria no Pátio
na Loja Oficina  
 
Sábado 20 julho, 15h00
Caminhos em Volta  
Marginália
Partida do Posto de Turismo da Praça de S. Tiago
 
Terça 30 julho, 18h00  
Centenário da Morte do Conde de Margaride  
Cartografia de um Retrato  
 
Todo o ano
Território e Comunidade
Exposição Permanente
 
>> Toda a informação em www.casadamemoria.pt
fechar todos
2009 © Design Martino&JañaDesign | Programação Webprodz | Optimizado para resoluções superiores a 1280x800