Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
menu logo
main logo
menu logo
menu logo
menu logo
menu logo
menu logo
site atual logo
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Grande Auditório

SÁBADO 4 DEZEMBRO, 19H30

Orlando

Direção Albano Jerónimo | Texto Cláudia Lucas Chéu

A travessia é o lugar da incerteza, da não-evidência, do estranho

- Paul B. Preciado, filósofo transgénero


Vivemos tempos bizarros. Numa época que devia ser dada à tolerância e aceitação, passamos por um período de violência muitas vezes centrado na discriminação. Contudo, o pensamento que se opõe ao poder tem mostrado resiliência e força de combate. O texto de Cláudia Lucas Chéu parte de Orlando de Virginia Woolf, e constrói uma narrativa que misturará a ficção de Woolf com uma tentativa de refletirmos sobre as questões de género e sobre as ondas de violência que estas originam. A encenação assinada por Albano Jerónimo remete para uma perversidade polimorfa sonhada, quer pela recusa, quer na paixão angustiada, quer na transformação da beleza, quer nas representações singulares da fisicalidade corpórea. "Orlando" é uma biografia ficcionada sobre a corrente da consciência. No palco do tempo, "Orlando" será o nosso nobre, sofisticado e sensível protagonista neste novo reino, nesta nova sociedade e neste novo mundo.

PROGRAMA PARALELO


Filme Documentário "Travessia"

Terça 30 novembro, 21h00

CCVF / Pequeno Auditório

Em parceria com o Cineclube de Guimarães


Partamos do êxodo, enquanto qualidade conclusiva de um processo, ou mesmo de uma “travessia”. Uma que não se limita a propor a existência de um destino pré-determinado, mas antes, consente a possibilidade de pontos focais intermédios, caracterizados pela voz da sua individualidade. Uma voz, por vezes, inconformada pela revelação social de processos interiores que, num passado próximo, eram objeto de criminalização. Em Portugal, nos últimos vinte anos, a temática LGBTQIA+ tem ganho a dignidade, o espaço e a vivacidade, naturais a todas as questões sociais. O que é mudou, desde então? A metáfora da “travessia” pode, nesse sentido, ilustrar dois percursos diversos, mas, necessariamente, intercomunicantes – o pessoal e o social. São muitas as dificuldades que, ainda hoje, caracterizam este domínio temático. Desse modo, a seleção testemunhal recai numa abordagem tridimensional entre os universos pessoal, ativista e político-jurídico.


_

Apresentação do trabalho desenvolvido nas Oficinas com alunos da Universidade do Minho

Quinta 2 dezembro, 21h30

CCVF / Café Concerto


A TN21 a partir do seu novo espetáculo “Orlando” e fazendo jus ao seu histórico de trabalho e registo que contribui para a inclusão, decidiu envolver os alunos da Universidade do Minho neste projeto, confrontando-os com a diversidade e complexidade das temáticas envolvidas, como a questão de género (incidindo na transexualidade e no transgénero) e a deficiência (física ou mental). Através de testemunhos na primeira pessoa pretende-se oferecer aos alunos as perspetivas psicológicas, cívicas, legais, emocionais, artísticas e de saúde dos temas abordados, com o objetivo de deixar bases para uma reflexão crítica e problematização dos temas, que darão origem a um objeto final e de apresentação.

 

Conceção TN21, A Oficina, Licenciatura em Teatro - Instituto de Letras e Ciências Humanas - Universidade do Minho
Direção Oficinas Presenciais 
Albano Jerónimo, Cláudia Lucas Chéu

Pesquisa e material de consulta TN21

Direção de curso e coordenação pedagógica Universidade do Minho Francesca Clare Rayner

Coordenação Oficinas Sara Cavaco

Painel de convidados ILGA, Terra Amarela, TransMissão – Associação Trans e Não Binária, AMPLOS – Associação de Mães e Pais pela Liberdade de Orientação Sexual e Identidade de Género, Adviser Legal, Unidade de Reconstrução Genito-Urinária e Sexual (URGUS), Filipe Cato, Johnny Hooker, Tita Maravilha, Aurora Pinho (elenco espetáculo Orlando), Diego Bagagal (elenco espetáculo Orlando), Tempero Drag – Drag Queen – Rita Von Hunty, André Tecedeiro, A. Pinto-Baião (entre outros a confirmar)


_

Vox – Pop

Quarta 1 a Sábado 4 dezembro

CCVF / Espaço Escuta


Vídeo documental com diversos depoimentos de pessoas pertencentes à comunidade de Guimarães, editados e montados, no sentido de clarificar uma perceção pública vigente no quotidiano da cidade e da comunidade, sobre as temáticas de travessia, uma realidade que ainda é, para muitos, desconhecida.


Conceção TN21

Direção vox-pop & guião TN21

Design Vídeo Oskar & Gaspar


 

Tanto o filme documentário “Travessia”, como o vox-pop realizado com a comunidade de Guimarães e o resultado final do trabalho desenvolvido com os alunos da Universidade do Minho, constituem um complemento essencial ao espetáculo “Orlando” e estarão disponíveis em exibição permanente, para acesso público, no Espaço Escuta, na Praça Coberta do CCVF.



Folha de sala do espetáculo


Espetáculo com audiodescrição (AD) e interpretação em Língua Gestual Portuguesa (LGP)

Rede de Teatros com Programação Acessível
Pictograma Língua Gestual Portuguesa



A língua através da qual grande parte da comunidade surda em Portugal (cerca de 30.000 pessoas) comunica entre si. A expressão "língua gestual" refere-se à língua materna de uma comunidade de surdos. As línguas gestuais são línguas naturais, que surgem e se desenvolvem naturalmente, como as línguas orais. É produzida pelos movimentos das mãos, do corpo e por expressões faciais.

Pictograma Áudiodescrição



Um comentário adicional dirigido às pessoas com deficiência visual (cegas e com baixa visão) e que se refere à linguagem corporal, expressões e movimentos. Consiste num narrador que fala durante a apresentação, durante as pausas naturais do áudio, sobre o que está a acontecer (e que não é percetível através da audição).

Preço
10,00 eur / 7,50 eur com desconto

COMPRAR

No âmbito das novas medidas para acesso a eventos, a partir de 1 de dezembro de 2021, cumprindo a orientação da DGS 028/2020, informamos que o acesso a espetáculos requer a apresentação de um dos seguintes comprovativos, nos termos do DL n.º 54-A/2021:


— Certificado Digital Covid, ou;

— Comprovativo de vacinação, que ateste o esquema vacinal completo há, pelo menos, 14 dias, ou;

— Comprovativo de realização de teste laboratorial, com resultado negativo (PCR realizado nas 72h antes do espetáculo ou antigénio realizado nas 48h antes do espetáculo).


Os autotestes não são aceites como comprovativo.

Os menores de 12 anos estão dispensados da apresentação de comprovativo.

Solicita-se aos espectadores que cheguem 30 minutos antes do início da sessão.

Para mais informações, contacte-nos através: 253 424 700 / bilheteira@aoficina.pt.


Maiores de 14

Texto Cláudia Lucas Chéu a partir de Orlando de Virginia Woolf 

Direção Albano Jerónimo

Dramaturgia André Tecedeiro, Albano Jerónimo, A. Baião-Pinto, Cláudia Lucas Chéu

Com André Tecedeiro, Aurora Pinho, Cláudia Lucas Chéu, Diego Bragà, Eduardo Madeira, Luís Puto, Madalena Massano, Maria Ladeira, Pedro Lacerda, Rita Loureiro, Solange Freitas

Participação especial Francisca Jerónimo

Movimento Carlota Lagido

Assistência ao movimento Joana Castro

Espaço cénico Tiago Pinhal Costa

Construção cenografia Tudo Faço

Figurinos Carlota Lagido

Desenho de luz Rui Monteiro, Teresa Antunes (assistência) e Outcube - Stage & Lighting Design (assistência)

Composição musical Rui Lima & Sérgio Martins 

Direção sonora e desenho de som Bernardo Bento

Assessoria artística Nuno M Cardoso

Assistência de encenação Luís Puto, Afonso Abreu (estagiário)

Suspensão Laboratório

Assistência de figurinos Sandra Guerreiro

Direção de cena Marta Pedroso, Inês Matos

Comunicação e assessoria de imprensa Sara Cavaco

Design vídeo Oskar & Gaspar 

Caracterização Sérgio Alxeredo, Ana Steiner

Vídeo documental Oskar & Gaspar

Fotografia de cena Susana Chicó 

Fotografia de cartaz Rui Palma

Traduções Ana Magalhães

Programa paralelo comunidade Sara Cavaco

Direção de produção Francisco Leone 

Assistência à direção de produção Bruno Rosa 

Produção executiva Luís Puto

Produção Teatro Nacional 21

Coprodução A Oficina - Guimarães, Casa de Artes de Vila Nova de Famalicão, Teatro Municipal do Porto, Teatro Nacional D. Maria II, Teatro do Noroeste - Centro Dramático de Viana, Centro de Artes de Águeda 

Parceiro institucional Fundo de Fomento da Cultura 

Projeto financiado pela República Portuguesa - Cultura / DGArtes

Agradecimentos ILGA Portugal, Universidade do Minho - Professora Francesca Rayner, Diana Lopes, Pro Dança, Mãe do Mickael, Lili Grilo, Rita de Castro