Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
Festivais Gil Vicente
Festas da Cidade e Gualterianas
A Oficina
Centro Cultural Vila Flor
Centro Internacional das Artes José de Guimarães
1. Casa da Memória de Guimarães
Centro de Criação de Candoso
Teatro Oficina
Educação e Mediação Cultural
Centro Cultural Vila Flor
A Oficina
Centro Internacional das Artes José de Guimarães
1. Casa da Memória de Guimarães
Centro de Criação de Candoso
Teatro Oficina
Educação e Mediação Cultural
2. Loja Oficina
2024.03.23 Pérola Sem Rapariga
Pequeno Auditório

SÁBADO 23 MARÇO, 21H30

Pérola Sem Rapariga

Zia Soares

“Pérola Sem Rapariga” resulta do encontro entre a encenadora Zia Soares e a escritora Djaimilia Pereira de Almeida e inspira-se na leitura de “Voyage of the Sable Venus and Other Poems”, da autora afroamericana Robin Coste Lewis, e no arquivo fotográfico de Alberto Henschel, fotógrafo alemão radicado no Brasil na segunda metade do século XIX, autor de uma série de retratos da população africana e afrodescendente.

Interpretado por Filipa Bossuet e Sara Fonseca da Graça, “Pérola Sem Rapariga” pensa a relação entre a superfície do corpo e aquilo que sobre ele somos capazes de dizer, entre legenda e imagem, entre a pele e o salvamento. O artista visual Kiluanji Kia Henda intervém no espaço da cena instalando prenúncios de apocalipse.


Qual a vida de um gesto — a história de um olhar — a fundura de uma gargalhada?

Em Pérola Sem Rapariga ri-se sem razão aparente, do riso deflagra o choro, o choro redunda em sonho e mergulha-se nele como num oceano. É daí que da gargalhada mais antiga, e da possibilidade de a gozar após tanto tempo, se abrem as portas de sonhos inquietos e delas ao fundo dos mares, onde jazem os que não podiam rir.

A ideia é mergulhar na gargalhada e acordar do outro lado. Cair no riso como quem cai no sono e no sono como quem cai ao mar. Ou antes, rir como quem se ergue, tirar o pó dos joelhos dentro dos sonhos, erguer a cabeça dentro do abismo. Ou rir como quem se afoga. Renascer de um afogamento. Acordar da morte.

- Djaimilia Pereira de Almeida



Espetáculo apresentado no âmbito da Odisseia Nacional, do Teatro Nacional D. Maria II

Preço
7,50 eur / 5,00 eur c/d

COMPRAR

Texto Djaimilia Pereira de Almeida

Direção e encenação Zia Soares

Interpretação Filipa Bossuet, Sara Fonseca da Graça

Artista visual Kiluanji Kia Henda

Instalação e figurinos Neusa Trovoada

Design de iluminação Carolina Caramelo

Música e design de som Xullaji

Vídeo promocional António Castelo

Assistência à encenação de movimento Lucília Raimundo

Assistência geral Aoaní d'Alva

Coprodução Sowing arts e Teatro Nacional D. Maria II, no contexto da apap – FEMINIST FUTURES (projeto cofinanciado pelo programa Europa Criativa da União Europeia)

Apoio Polo Cultural Gaivotas Boavista

_

Duração 60 min.

ccvf.pt desenvolvido por Bondhabits. Agência de marketing digital e desenvolvimento de websites e desenvolvimento de apps mobile